quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

HISTÓRIA: FORD MONDEO - 20 ANOS DE LANÇAMENTO NO BRASIL

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


O tempo passa até para o Ford Mondeo, lançado no Brasil há 20 anos. Bem antes da data, já vi um todo sujo, enferrujado e com cano de descarga sacolejando com o carro em movimento.

Eu até já imaginava esta cena no futuro, mas, enfim, a realidade de carro velho chegou para um modelo que foi anunciado como o primeiro carro mundial da Ford e carregava a responsabilidade de recuperar e modernizar a imagem da filial brasileira da marca norte-americana, maltratada por oito anos de um casamento com a Volkswagen chamado Autolatina.

O Mondeo chegou aqui em 1995, ano em que acabou a parceria. Sedã médio-grande de desenho arredondado e em sintonia com o mercado europeu, foi importado da Bélgica para substituir o Versailles (também conhecido como clone do Santana).

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

VALE À PENA? - LIFAN 530

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


A chinesa Lifan Motors chegou ao Brasil em 2010 com dois modelos: o 320, imitação genérica do Mini Cooper, e o 620, um sedã médio com estilo do Skoda Octavia dos anos 90. A chegada do utilitário esportivo X60, no entanto, em vez de ampliar a linha acabou renovando-a, pois os dois modelos iniciais pararam de ser importados. E a chegada do sedã compacto 530 é mais um passo nesta renovação.

O 530 deveria ter participado do último comparativo do ano passado, entre os sedãs compactos. Mas o atraso da sua disponibilidade para teste pela imprensa especializada impediu a sua participação. Assim, eu trago de volta a seção Vale à Pena? (que já se chamou Analisando e Análise Ponto a Ponto) para avaliar cada item do 530, que tem motor 1.5 exclusivamente a gasolina, com 103 cavalos. A avaliação será baseada no comparativo do Ford Ka+, Fiat Grand Siena, Renault Logan e Chevrolet Prisma. 

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - NOVO HYUNDAI TUCSON

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Utilitário esportivo preferido das equipes de reportagem de televisão, o Hyundai Tucson, enfim, ganhou uma nova geração. A terceira, se considerarmos o ix35, teve as suas primeiras fotos e informações divulgadas ontem. A apresentação ao público será no Salão de Genebra, agora em março. 

sábado, 14 de fevereiro de 2015

COMPARATIVO - HONDA CITY x FORD FIESTA SEDAN x HYUNDAI HB20S

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA CARRO


O City foi lançado no Brasil em 2009, para a Honda marcar presença no disputado segmento dos sedãs compactos. Acabou ficando muito caro e perdendo mercado dentro de casa, para o Civic, maior que ele.

Em sua segunda geração, que chegou no ano passado, também fabricada em Sumaré, a Honda assumiu que o City não é mais um compacto. Mas, também, ainda não é um sedã médio. E, por isso, o três volumes derivado do monovolume Fit vive um dilema: caro e grande para ser um compacto e pequeno e pouco equipado para ser um médio.

Dilema que começou logo na hora de eu preparar este comparativo. A ideia inicial era colocá-lo para enfrentar o Toyota Corolla em sua versão básica, GLi 1.8, e o Kia Cerato. Mas achei que ele ia passar vexame contra dois sedãs maiores que ele (respectivamente na faixa de 4,60 e 4,50m). O City tem 4,45m.

Então, decidi descer para o seu patamar original e compará-lo com o Ford Fiesta Sedan e o Hyundai HB20S, marcando a volta da marca sul-coreana aos comparativos do Guscar (estava afastada porque seu site tinha desativado o configurador, com a relação correta de equipamentos e preço).

Foram consideradas as versões completas e com câmbio automático (ou automatizado, no caso do Ford): o City EXL 1.5, o Fiesta Titanium Powershift 1.6 16v e o HB20S 1.6 16v na versão Premium. O Hyundai é o único que também é vendido com motor 1.0.

Eu ainda não desisti de colocar o City contra o Corolla. Deixei o comparativo para o mês que vem, quando a versão básica do Toyota, a GLi, será relançada com menos equipamentos e mais cara.


sábado, 7 de fevereiro de 2015

HISTÓRIA - FIAT PALIO: O NOVO CAMPEÃO DE VENDAS DO BRASIL


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


No final de 2014 o Volkswagen Gol perdeu a liderança de vendas que mantinha há 27 anos. Embora a diferença tenha sido de menos de 400 unidades (183.741 a 183.356), especialistas apontam que o modelo da marca alemã ficou enfraquecido com o fim da sua antiga carroceria (chamada G4), enquanto a versão Way da geração antiga do Fiat Palio, o novo líder, caiu nas graças do público. Some isso ao projeto mais moderno do novo campeão de vendas.



Mas não é só. O Palio construiu uma história de dezenove anos, com quatro face-lifts e duas versões de carroceria, lançadas em 1996 e 2011. Tudo começou no início dos anos 90, quando o Uno - que tanto tentou tirar a liderança do Gol - já pedia um sucessor por causa do surgimento de concorrentes mais modernos, como os reestilizados Corsa e Fiesta. 

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

SONHO DE CONSUMO - FORD GT 2016

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Em 1966, o Ford GT40 não só vencia pela primeira vez as 24 Horas de Le Mans, na França, a corrida de longa duração mais famosa do mundo, como também obteve o segundo e o terceiro lugares. Trinta e seis anos depois daquela conquista, o cupê norte-americano ressuscitava exatamente com a mesma carroceria, embora com toques modernizados como faróis de xenônio e interior com CD Player. 

O protótipo apresentado no Salão de Detroit de 2002 mantinha o nome original, acompanhado da palavra Concept. Já a versão definitiva, lançada no ano seguinte para começar a ser produzida em 2004 (que comemoraria o 40º aniversário da estreia do modelo nas pistas), foi chamada simplesmente de GT, perdendo o número que representava a sua altura de um metro expressa em polegadas (40).  A tiragem foi limitada a 4.500 unidades e o GT deixou de ser produzido em 2007. 

Conceito Ford GT40 2002
Ford GT 2004

Oito anos depois, o Ford GT volta a renascer no Salão de Detroit de 2015. Desta vez, com o estilo totalmente renovado. Só o capô e os faróis remetem ao modelo original, para manter a identidade. O par de colunas escurecidas sugere que o para-brisa incorporou as janelas laterais. A maior parte da carroceria, inclusive o capô dianteiro, é composta de vincos, túneis e generosas entradas de ar. As portas agora se abrem para cima. A estrutura das rodas traseiras e o aerofólio parecem flutuantes. As lanternas redondas, posicionadas nas extremidades se confundem com as duas saídas de escape colocadas bem no centro. 

domingo, 1 de fevereiro de 2015

BABA, BRASIL! - CHEVROLET VOLT 2016

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Primeiro veículo do mundo a popularizar o sistema híbrido de alimentação (motores a gasolina e elétrico), o Toyota Prius foi lançado em 1997 com um desenho bem estranho. Era um sedã com cara de carro conceito da época que só conquistou os europeus e americanos, de fato, na sua segunda geração, lançada em 2004, transformada em fastback e com estilo convencional. 

Seu concorrente mais famoso, o Chevrolet Volt, também nasceu com visual futurista, em 2010. Apesar de ter sido eleito o Carro do Ano na Europa, dois anos depois, junto com a sua versão alemã, o Opel Ampera, também não conseguiu ser tão popular como a General Motors acreditava. 

E no último Salão de Detroit foi revelada a sua segunda geração, que pretende repetir o sucesso do rival e até roubar a sua popularidade. Para isso precisou se renovar inteiramente. Seguiu o exemplo do Prius e adotou linhas modernas e contemporâneas, como as de um carro convencional só com motor a combustível. A inspiração foi o novo Cruze, lançado na China. O novo Volt 2016 chegará ao mercado norte-americano no segundo semestre deste ano.