Definition List

sexta-feira, 25 de julho de 2014

HISTÓRIA - VOLKSWAGEN PASSAT: 40 ANOS NO BRASIL


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO E INTERNET
FONTE DE CONSULTA: BESTCARS WEBSITE E ACERVO QUATRO RODAS


O Passat tem o nome de um vento equatorial mas o batismo não foi claramente uma homenagem póstuma à forma de refrigeração (a ar) do motor que marcou os carros da Volkswagen. Até porque o primeiro Volks com motor arrefecido a água na Europa foi o K70, um sedã médio da extinta NSU que ganhou emblema VW quando foi adquirida pela conterrânea.

NSU/VW K70

Por sua vez, o Passat foi projetado sobre a plataforma da primeira geração do Audi 80 (1972). Esta marca também foi adquirida pela fabricante do carro do povo. Para se diferenciar da sua matriz luxuosa, que era três volumes, o Passat foi simplificado com a carroceria fastback, de duas ou quatro portas laterais. O restante era igual ao 80, como a ampla área envidraçada, a grade padronizada preta com um (redondo ou oval) ou dois pares (redondos) de faróis e lanternas traseiras horizontais abaixo da tampa do porta-malas. Ambos foram desenhados pelo designer Giorgetto Giugiaro.

Audi 80 - A base do Passat

O médio completou os seus 40 anos no ano passado na Europa. Em 2014, é a vez do Brasil comemorar a data.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - NOVOS VOLKSWAGEN PASSAT E VARIANT

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


O Passat está completando 40 anos no Brasil, mas quem ganhou uma nova geração de presente foram os europeus, pela mesma idade completada no ano passado. A reformulação só deve chegar aqui no ano que vem. É possível que ele seja apresentado no Salão de São Paulo, em outubro. 

sábado, 12 de julho de 2014

BABA, BRASIL! - NOVO OPEL CORSA

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Na agora fatídica e traumática tarde de 8 de julho de 2014, enquanto o futebol da Alemanha aplicava a maior goleada (7x1), que o Brasil jamais tinha levado em uma Copa do Mundo e justo no torneio que ele mesmo organizou e tanto sonhou para isso, outros alemães mostravam mais uma superioridade sobre os brasileiros, agora na indústria automobilística.

A Opel apresentou as primeiras imagens e informações da quinta geração do compacto Corsa, que a subsidiária brasileira do conglomerado norte-americano preferiu aposentar na terceira e importar da Argentina o estranho e mal acabado Chevrolet Agile, que ainda por cima usa a plataforma da segunda geração do compacto europeu.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

COMPARATIVO - SEDÃS MÉDIOS


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTAS QUATRO RODAS E CARRO (HONDA CIVIC)


O segmento de sedãs médios ganhou novidades entre o final do ano passado e março deste ano, como o Citroën C4 Lounge e as reestilizações do Ford Focus, Nissan Sentra e do Toyota Corolla. Mas faltava a renovação do líder para completar a formação de um novo comparativo, que não é feito desde 2012.

E o tão esperado face-lift do Honda Civic acabou decepcionando. Não só no desempenho na comparação como também no próprio resultado estético. O japonês mudou apenas a grade (que agora é em arco invertido cromado e com tela de colmeia), as rodas de liga-leve e a cor do painel interno. E só. Esperava-se que a traseira, poluída pelo discutível olho de gato, viesse também totalmente renovada como nos Estados Unidos. Nada.

E pensar que eu já elogiei a Honda por atualizar rapidamente os seus carros no Brasil. Não adianta elogiar! Parece até que o Civic chegou atrasado para um encontro, vestido apenas com a camisa, o paletó, gravata e... uma bermuda.

O Civic enfrentou os quatro modelos citados lá em cima e mais o Chevrolet Cruze, que foi renovado na China e está se despedindo, com esta carroceria, dos comparativos do Guscar. Todos foram analisados nas respectivas versões top (o Civic na intermediária) e com câmbio automático (seja convencional, CVT ou automatizado). O C4 Lounge tem motor turbo 1.6 e o Cruze é 1.8. Os demais são 2.0. O Renault Fluence, vencedor dos dois últimos confrontos, ficou de fora porque aguarda o seu face-lift.

A conclusão é que os três líderes do mercado, inclusive o novíssimo Corolla, ficaram para trás, o que me bate uma dúvida: os comparativos servem para alguma coisa ou é o brasileiro que compra mal?

terça-feira, 1 de julho de 2014

LEMBRA DE MIM? - DAEWOO ESPERO

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Estávamos em 1994. Nos áureos tempos da importação no Brasil, aproveitando o sucesso do Plano Real, a sul-coreana Daewoo chegava com tudo ao nosso país. Além dos seus modernos aparelhos de som, ela trazia também os seus veículos.

Começou com o Espero, um sedã médio de 4,55m de comprimento, linhas retas, com vidro da lateral até a traseira (sempre separado por colunas), capô baixo, grade no para-choque, faróis trapezoidais longos e finos e tampa do porta-malas com lanternas unidas por uma faixa de acrílico com o nome do modelo. O estilo era chamado de italiano porque a carroceria foi desenhada pela Bertone. Mas a inspiração provavelmente veio do francês Citroën XM, que foi assinado pelo mesmo estúdio em 1989. O Espero foi lançado na Coreia do Sul no ano seguinte. 

quinta-feira, 26 de junho de 2014

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - FORD EDGE


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Se tem um modelo que serve para exemplificar o termo "crossover" este é o Ford Edge. Um misto de perua de suspensão elevada com um utilitário esportivo sem cara de lameiro lançado em 2007. Tudo bem que o Dodge Journey (origem do Fiat Freemont) briga pela invenção do conceito, mas o Edge é o que melhor identifica o gênero. 

E o retrato da expressão está de cara nova. O Ford Edge ganhou a sua segunda geração, com frente e traseira mais agressivas e harmoniosas que o atual e novo recorte das janelas, mas manteve a silhueta quase quadrada para conservar a identidade. A nova plataforma vem do Fusion, embora o novo crossover esteja longe de lembrar o sedã. Mesmo na grade hexagonal, que no Edge é aberta e tem a novidade de ser ativa para reduzir a resistência aerodinâmica.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - NISSAN FRONTIER 2016


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Em 2011 (no Brasil no ano seguinte), Chevrolet S10 e Ford Ranger fecharam o ciclo de renovação das picapes médias iniciado em 2005 com a japonesa Toyota Hilux. Agora é a Nissan quem inaugura uma nova fase de remodelação da categoria com a nova Frontier. 

A apresentação foi feita na Tailândia, que se tornou a capital mundial das picapes médias e vai receber a picape primeiro. Foram mostradas apenas as versões de cabine dupla e estendida. Não deve ter cabine simples.