sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

AVALIAÇÃO - HONDA CIVIC SI 2015



TEXTO: MÁRIO COUTINHO LEÃO | FOTOS: HONDA

"Procura-se piloto". O slogan é chamativo e a cor do carro das foto é quase uma provocação. Ao vivo o carro é bem mais agressivo e imponente que nas imagens, tenha certeza. Linhas, cortes e volumes cativam logo no primeiro olhar. Rodas grandes, carroceria coupé e um enorme aerofólio na tampa traseira denunciam que a brincadeira é séria. O motor era 2,0-litros de 192 cavalos, agora são 2,4-litros e 206 cavalos.

Sentei no banco do motorista. Apoios laterais e espuma mais firme, com couro preto e vermelho, me fez lembrar o mítico Gol GTi 16v de quase 20 anos atrás. Bancos, volante e coifa do câmbio (manual de seis marchas) têm costuras vermelhas. E essa cor domina todo o painel de instrumentos, com um grande e belo conta-giros analógico logo à frente do volante e o velocímetro logo acima, em um "segundo andar". Cativante. Pensei logo "agora o Civic Si é um esportivo de verdade!".

CARRO DO ANO AUTOESPORTE 2015



TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | LOGO: AUTOESPORTE


Seguindo a tradição de 47 anos, a revista Autoesporte (que completou 50 anos em novembro deste ano) anunciou na terça-feira, dia 9 de dezembro, os vencedores da sua premiação. Pelo segundo ano seguido, o evento foi realizado no centro cultural Villa Vérico, em São Paulo. 

A premiação contou com a participação de jornalistas, engenheiros e publicitários de todo o país como jurados e teve modificações. Como, por exemplo, a escolha de apenas uma personalidade para o Hall da Fama: o designer Anísio Campos. Até o ano passado eram duas e até 2012, uma viva e uma falecida. Duas das principais categorias tiveram apenas dois finalistas: Utilitário Esportivo (Peugeot 3008 e Troller T4) e Picape (Volkswagen Saveiro e Chevrolet S10). 

Como no ano passado, o balanço de premiações foi equilibrado. Ford e Audi saíram com dois troféus na noite. Os vencedores foram Ford Ka, Audi S3, Peugeot 3008, Audi RSQ3, Volkswagen Saveiro, Ford 1.0 3 cilindros, Chevrolet 2.5 flex, Honda Fit, site da Citroën, comercial do Fiat Uno e o presidente da Hyundai Motors do Brasil, William Lee.

Nos próximos posts você acompanha cada vencedor, dos prêmios especiais (Executivo, Publicidade, Site e Carro Verde do Ano) ao Ford Ka, o Carro do Ano 2015.


Carro do Ano 2015 - Ford Ka
Carro Premium do Ano - Audi S3 Sedan
Utilitário Esportivo do Ano - Peugeot 3008
Utilitário Premium do Ano - Audi RSQ3
Picape do Ano - Volkswagen Saveiro Cabine Dupla
Motor do Ano (até 2.0) - Ford 1.0 12v
Motor do Ano (acima de 2.0) - Chevrolet 2.5 ECOTEC Flex
Hall da Fama - Anísio Campos
Outros prêmios 


Em meu nome e do colaborador Mário Coutinho Leão, quero agradecer a audiência de você, leitor, em 2014 e desejar um 2015 de muita paz, sucesso, felicidades e realizações. Continuaremos juntos no ano que vem. Quem sabe, com novidades.  


CARRO DO ANO AUTOESPORTE 2015 - FORD KA


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
LOGO: AUTOESPORTE | MONTAGEM: GUSTAVO DO CARMO 


Os leitores do Guscar devem estar cansados de ler que o Ford Ka cresceu, ganhou quatro portas, uma carroceria sedã e ficou com estilo próximo ao dos seus principais concorrentes Chevrolet Onix e Volkswagen Gol (de quem pretendia tirar a liderança, mas quem tirou foi o Fiat Palio). E foi pela expectativa de bom mercado (além, claro do bom acabamento, espaço interno e equipamentos como controles eletrônicos de estabilidade e tração e o assistente de emergência que chama o SAMU) que o Ford Ka conquistou o seu segundo título de Carro do Ano pela revista Autoesporte. 

CARRO PREMIUM DO ANO AUTOESPORTE 2015 - AUDI S3 SEDAN

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


O Audi A3 Sedan não conseguiu ser o Carro do Ano de 2015. Em compensação a sua versão esportiva S3 venceu a eleição de Carro Premium, para modelos acima de R$ 110 mil. Se tivesse vencido a categoria principal, se tornaria o primeiro modelo a ser escolhido como o melhor Carro e Premium no mesmo ano. 

UTILITÁRIO ESPORTIVO DO ANO AUTOESPORTE 2015 - PEUGEOT 3008

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTO: DIVULGAÇÃO 


Totalmente reestilizado este ano, o Troller T4 tinha tudo para ser o primeiro carro genuinamente brasileiro (ainda que a marca cearense hoje pertença à norte-americana Ford) a ganhar uma eleição de Carro do Ano da revista Autoesporte em qualquer categoria. Nem a Gurgel conseguiu o feito. 

Mas os jornalistas preferiram dar o título de Utilitário do Ano ao seu único adversário nesta eleição: o Peugeot 3008, que foi parcialmente renovado em 2014. Aliás, a categoria Utilitário Esportivo do Ano foi esvaziada nesta edição. Teve apenas dois concorrentes. Por que não os juntaram aos Premium? 

UTILITÁRIO PREMIUM DO ANO AUTOESPORTE 2015 - AUDI RSQ3

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


O Utilitário Esportivo do Ano 2015 da revista Autoesporte é o Audi RSQ3. A marca alemã das quatro argolas manteve a hegemonia da premiação desde que ela se desdobrou em modelos abaixo e acima de R$ 120 mil (patamar atual) em 2008. Venceu quatro vezes, duas com o próprio Q3: em 2008 (Q7), 2010 (Q5), 2013 (Q3) e este ano. 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

PICAPE DO ANO AUTOESPORTE 2015 - VOLKSWAGEN SAVEIRO CABINE DUPLA

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


A Chevrolet S10 conseguiu ter o melhor motor acima de 2.0 de 2015, mas a Picape do Ano é uma compacta: a Volkswagen Saveiro Cabine Dupla. Mesmo com poucas novidades no segmento, a Autoesporte apostou na premiação pelo terceiro ano consecutivo, com a ressalva de que apenas estes dois modelos disputaram o título. 

MOTOR DO ANO (ATÉ 2.0) AUTOESPORTE 2015 - FORD 1.0 3 CILINDROS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Além do título principal de Carro do Ano, a Ford faturou também o Motor do Ano até 2.0. O 1.0 de três cilindros e doze válvulas, que equipa o Ka e o sedã Ka+, foi o escolhido pelos dez jurados convidados pela revista da Editora Globo (três jornalistas e sete engenheiros). 

MOTOR ANO (ACIMA DE 2.0) AUTOESPORTE 2015 - CHEVROLET 2.5 ECOTEC SIDI FLEX


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Há três anos, a Nissan, fazendo referência ao desenho Meu Querido Pônei, chamou os cavalos dos motores das picapes concorrentes da Frontier de "Pôneis Malditos". E o então novo motor a diesel oferecia 190 cavalos de potência. Um ano depois, a Ford lançou a nova Ranger com 200 cavalos. 

Em outubro, a Chevrolet superou a concorrência e, com um motor Flex 2.5 de quatro cilindros e 16 válvulas, passou a oferecer 206 cavalos na sua S10, desde que abastecido com álcool. Com gasolina, não passa de 197 cavalos. A potência foi possível graças à injeção direta, recurso que já vem usado em motores a gasolina e álcool por outros modelos como o Ford Focus e o BMW 320i Active Flex, e o comando variável de válvulas (VVT).


Este novo motor, chamado oficialmente de Ecotec SIDI (Spark Ignition Direct Injection), que equipa as duas versões superiores da S10 - LT e LTZ - foi escolhido por três jornalistas especializados e sete engenheiros reunidos pela Autoesporte como o Motor do Ano, acima de 2.0 litros de cilindrada. 

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

HALL DA FAMA AUTOESPORTE 2015 - ANÍSIO CAMPOS


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO 
FOTOS: DIVULGAÇÃO (OUTROS CRÉDITOS AO LONGO DO TEXTO)


Desde 2009 a Autoesporte homenageava para o seu Hall da Fama dois nomes marcantes do automobilismo brasileiro: um vivo e outro já falecido. No ano passado mudou para dois vivos. Este ano, reduziu os custos e indicou apenas o projetista Anísio Campos, vivinho da silva. 

CARRO DO ANO AUTOESPORTE 2015 - OUTROS PRÊMIOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO E AUTOESPORTE | FOTOS: DIVULGAÇÃO 

A eleição de Carro do Ano da revista Autoesporte surgiu em 1966, organizada pela extinta Mecânica Popular. No início apenas um carro era nomeado. O primeiro vencedor foi a Picape Willys, derivada da Rural. Hoje, a publicação da Editora Globo, que organiza a promoção desde 1969, realiza doze premiações.

Além do Hall da Fama (que este ano passou a escolher só um), das cinco categorias tradicionais (Carro do Ano, Carro Premium, Picape, Utilitário e Utilitário Premium) e dos motores até 2.0 e acima desta cilindrada, a Autoesporte também escolheu o carro verde (Honda Fit), o site de montadora (Citroën), o comercial de TV (Fiat Uno) e executivo do ano (William Lee, da Hyundai). 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

PRÉ-ESTREIA INTERNACIONAL - OPEL KARL

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


A renovação dos compactos da Opel não para. Depois do moderninho Adam e da quinta geração do Corsa, agora é a vez do Karl, que apesar do nome alemão que homenageia o filho mais velho do fundador da marca, Adam Opel, é um projeto mundial.

Tanto que ele próprio será fabricado na Coreia do Sul. Vai substituir o Agila e o Spark. Este último deverá manter o nome na Ásia com a marca Daewoo e com a Chevrolet em outros mercados. No Reino Unido, ele se chamará Vauxhall Viva (que batizava o projeto do nosso finado Chevrolet Agile). 

domingo, 7 de dezembro de 2014

LANÇAMENTO - RENAULT FLUENCE 2015

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA CARRO


Mesmo desenhado pela sul-coreana Samsung, o sedã médio Fluence é um derivado da terceira geração do hatch Mégane europeu. Assim, ele pode ser considerado o único Renault autêntico moderno vendido no Brasil.

Porém, o Fluence é um incompreendido. Apesar do estilo atraente, acabamento de ótima qualidade, espaço interno (distância entre-eixos de 2,70m) e porta-malas (de 530 litros) amplos e de ter vencido dois comparativos aqui no Guscar, ele não vende bem. Foi apenas o sexto mais comercializado no seu segmento com 6.955 unidades emplacadas de janeiro a novembro. O terceiro da categoria mais vendido, o Chevrolet Cruze, teve pouco mais de 21 mil unidades no mesmo período. Aliás, é um mal que atinge os modeloa franceses. O Peugeot 408 e o Citroën C4 Lounge também nunca convenceram.

Para tentar uma guinada no mercado, a Renault, enfim, trouxe para o Brasil a nova frente padrão da marca francesa para o Fluence. É a mesma usada no jurássico Clio de segunda geração, só que agora no carro certo, condizente com a sua modernidade.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

COMPARATIVO - SEDÃS COMPACTOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA CARRO


Quando a Ford europeia lançou, em 1996, o pequenino e estranho Ka, voltado para o uso urbano, ninguém poderia imaginar que ele ganharia, dezoito anos depois e num país subdesenvolvido da América do Sul chamado Brasil, uma versão de três volumes que pudesse brigar de igual pra igual com concorrentes maiores do que ele.

O Ka sedã ganhou um "mais" (+) no nome para a sua pronúncia não soar feio, mas o sinal de adição foi uma boa sacada para sugerir que o ex-subcompacto tem mais espaço no porta-malas, mesmo que não seja o maior do segmento.

Dois meses depois de lançado, chegou a vez de colocar o inédito Ka Sedan (ou Ka+) à prova contra os seus rivais, sempre na versão mais completa e com câmbio manual (o Ka não oferece transmissão PowerShift): Chevrolet Prisma LTZ 1.4 8v, Renault Logan Dynamique 1.6 8v e o líder de mercado e vencedor de outros dois comparativos do Guscar, o Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v. O Ka+ estreia na versão SEL 1.5 16v. O Voyage ficou de fora porque a Volkswagen ainda não o equipou com o novo motor EA211 1.6. E o HB20S porque a Hyundai não divulga os preços e equipamentos corretos em seu site. 


domingo, 30 de novembro de 2014

BABA, BRASIL! - FIAT 500X

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


O monovolume Idea e a perua Palio Weekend estão envelhencendo no mercado brasileiro porque a Fiat prometeu substituí-los por um novo conceito de automóvel e ainda não cumpriu. Em 2012, na Europa, o pequenino 500 começou a gerar uma família quando a matriz da marca italiana lançou a 500L, uma interessante e versátil perua que lá substituiu o Idea.

Aqui, a Fiat correu para anunciar que não seria a 500L que iria substituir os dois modelos. "Brasileiro gosta de utilitários esportivos. Por isso, estamos desenvolvendo um modelo exclusivo para o nosso mercado". Os especuladores influentes da imprensa automotiva garantiam o crossover 500X, que seria fabricado na nova unidade de produção em Goiana, Pernambuco.

O 500X já está pronto para chegar ao mercado de mais de 100 países a partir do ano que vem, inclusive nos Estados Unidos. Mas o Brasil foi excluído. Os"gênios" da nossa Fiat optaram pelo feioso Jeep Renegade, que tem a mesma plataforma do 500X, para ser fabricado em Pernambuco. A Jeep e outras marcas do grupo Chrysler agora fazem parte da Fiat.