Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 29 de março de 2013

COMPARATIVO - HYUNDAI HB20X X VOLKSWAGEN CROSSFOX

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA CARRO

Segundo modelo da Hyundai produzido em sua nova fábrica de Piracicaba, interior paulista, o esportivo HB20X não foi criado à toa. O alvo é o Volkswagen Crossfox, que em 2005 levou para os hatches compactos o visual aventureiro de aparência, pois na mecânica a única coisa diferente é a suspensão elevada.

 Até então, a maquiagem era exclusiva das peruas, picapes e minivans, como a pioneira Fiat Palio Weekend Adventure e suas derivadas Idea, Strada e até o utilitário Dobló. A montadora italiana chegou a criar o sistema eletrônico de bloqueio de diferencial Locker, como alternativa à tração integral. Teve também a Peugeot 206 Escapade e a Parati Crossover, depois Track and Field, da Volks.

O Crossfox logo chamou a atenção pelo estepe pendurado na traseira, o quebra-mato e os estribos laterais. Desde o seu lançamento se tornou o líder de vendas, inspirou música (Eu sou Stephany no meu Crossfox) e motivou o surgimento de outros rivais do mesmo porte, como o Citroën C3 XTR, o Renault Sandero Stepway e os kits "off-road" do Chevrolet Celta e Ford Fiesta. Destes só sobrou o Sandero, que não entrou neste comparativo porque já está desatualizado no exterior e pode dar lugar à nova geração aqui também até o final do ano.

Os "aventureiras" maiores continuaram surgindo, como a irmã do Fox, Spacecross, o Citroën Aircross e Honda Fit Twist. Mas a briga aqui é entre o Crossfox e o Hyundai HB20X, equipados com câmbio automatizado e automático, respectivamente.


domingo, 24 de março de 2013

LANÇAMENTO - PEUGEOT 208

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Quando quer de verdade faz com vontade. Esta frase cabe muito bem à Peugeot, que tomou vergonha na cara (mais porque as vendas do seu 206 fantasiado de 207 caíram) e resolveu fabricar no estado do Rio de Janeiro o novo 208, onde praticamente tudo é novo: do estilo a plataforma (com exceção das partes mecânicas). Nada de carroceria antiga com face-lift e nome disfarçado, como no seu antecessor, que continua em linha nas versões hatch 1.4, sedã e picape. A SW vai dar lugar ao utilitário 2008 no ano que vem. 

O 208 está menos arredondado e mais alto (1,45m do 207 para 1,47m), com três vincos laterais. Os faróis ficaram maiores, mas continuam pontiagudos. A grade diminuiu e agora está mais perto do capô, em formato de sorriso. Segue o conceito usado no sedã grande 508. As janelas também cresceram e deixaram as pontas de lado, ganhando contornos arredondados e um pequeno vigia de plástico. As lanternas assumiram a forma de cabeça de leão rugindo. A tampa do porta-malas está mais bojuda, como no médio 308, e o para-choque traseiro tem borda em forma de arco invertido.


sexta-feira, 22 de março de 2013

MATÉRIA ESPECIAL - SABER ECONOMIZAR PARA COMPRAR UM CARRO É FUNDAMENTAL


TEXTO E FOTO: DIVULGAÇÃO

Dizem que o brasileiro não sabe economizar, o que parece ser verdade. A quantidade de famílias brasileiras que possuem divida hoje pode ser um bom indicador, elas chegam a quase 60%. A falta de cultura de economizar e sempre gastar quando se tem dinheiro na mão é uma grande falha. Um modo de aprender a economizar e criar hábitos são quando se tem algum objetivo para o dinheiro, como a compra de um carro. O IPI reduzido (imposto) e as facilidades de compra deixaram mais acessível a compra de um veículo, um dos objetos de desejo dos consumidores.

terça-feira, 19 de março de 2013

SONHOS DE CONSUMO - LA FERRARI, MCLAREN P1 E LAMBORGHINI VENENO


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


A temporada 2013 da Fórmula 1 começou no dia 17 de março com o Grande Prêmio da Austrália. Aproveitando a ocasião, vou falar de três novos superesportivos apresentados no último Salão de Genebra. Dois deles têm muito em comum com a categoria master do automobilismo mundial. São fabricados pelas suas equipes mais tradicionais: o La Ferrari, da fabricante italiana que emprestou o próprio nome para o modelo, e o McLaren P1. O terceiro é de uma marca que está ausente da Fórmula 1 há vinte anos, mas não poderia ficar de fora deste especial pela sua grande importância no gênero. É a Lamborghini, com o seu Veneno.


SONHO DE CONSUMO - LA FERRARI




TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO

Se o FF é a primeira Ferrari com tração integral, o La Ferrari é o seu primeiro carro originalmente híbrido. A nova geração de uma dinastia que começou com a GTO (1984), F40 (que comemorou os 40 anos da Ferrari em 1987), F50 (de 1995, para comemorar o meio século três anos depois) e a Enzo (2002) tem, além do motor V12 6.3, de 800 cavalos (o mesmo da F12 Berlinetta), um propulsor elétrico de 163 cv.

SONHO DE CONSUMO - MCLAREN P1



TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 

Com nome em referência à posição que a McLaren deseja sempre alcançar na Fórmula 1 (a liderança), o P1 (Position 1) não é o primeiro modelo comercial da equipe inglesa e nem o único da linha atual.

SONHO DE CONSUMO - LAMBORGHINI VENENO


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


A Lamborghini atuou na Fórmula 1 entre 1989 e 1993, sempre com resultados insignificantes. Teve equipe própria em 1991 e forneceu motores para as equipes Lola-Larousse (1989, 1990 e 1993), Lotus (1990), Ligier (1991), Venturi (1992) e Minardi (1992). Na época, pertencia à norte-americana Chrysler, então independente. Hoje, faz parte do grupo Volkswagen, que nunca investiu na categoria (me contestem, por favor!).

Nem por isso a Lamborghini deixou de ser um mito e de incomodar as vendas da conterrânea italiana. Afinal, foi de uma revolta contra uma má assistência técnica da marca de Enzo Ferrari que Ferruccio Lamborghini decidiu criar o seu próprio carro esportivo. Com a McLaren a relação é que a Lambo quase forneceu motores para equipe em 1994, um ano após a saída de Ayrton Senna. Mas Ron Dennis já tinha acertado com a francesa Peugeot.



O nome Veneno parece uma vingança contra as duas marcas, mas é, na verdade, uma homenagem da Lamborghini a um toureiro espanhol morto em 1914 pelo feroz e rápido touro Veneno. Ferruccio era fã de touradas e a marca italiana sempre batizou seus carros com nomes de vários touros.

sexta-feira, 15 de março de 2013

NO MERCADO - FORD FUSION


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO

O novo Fusion, enfim, faz jus ao seu nome. É que a segunda geração do sedã médio-grande da Ford norte-americana fundiu o seu estilo com a quarta edição do similar europeu, ainda chamado de Mondeo. Na Europa, o nome Fusion era usado num utilitário urbano bem esquisito derivado do aqui hoje conhecido Fiesta Rocam. No Brasil, os marqueteiros da marca oval preferiram criar o "jipinho" Ecosport. Lá, o Fusion deu lugar ao monovolume B-Max.

O nosso país, que ofereceu a primeira geração do Fusion yankee e as duas primeiras do Mondeo europeu, agora já vende a geração globalizada do sedã, que mantém o nome usado nos Estados Unidos. Saíram as linhas totalmente conservadoras, com cromados exagerados e tipicamente norte-americanos, e entraram a agressividade europeia da enorme grade hexagonal ao estilo Aston Martin e os faróis estreitos combinados com a caída do teto suave como um cupê e a consequente traseira discreta, mas elegante.

sábado, 9 de março de 2013

PRÉ-ESTREIA - HYUNDAI HB20S


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


O Chevrolet Prisma mal chegou ao mercado e a Hyundai já respondeu com o HB20S. O S identifica a versão sedã do seu hatch mais bem sucedido no Brasil, que foi o quarto automóvel mais vendido do país em fevereiro.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Baba, Brasil! - Volkswagen Golf Variant



TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Enquanto a Volkswagen do Brasil ainda não se decide se vai fabricar o novo Golf no Paraná ou importar do México, e muito menos quando virá, a matriz alemã lançou em Genebra a sua versão perua: a Golf Variant.

terça-feira, 5 de março de 2013

Carro do Ano Europeu 2013 - Volkswagen Golf


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO

Parecia que o pool de revistas europeias só iria premiar os carros elétricos ou híbridos como Carro do Ano. Nas duas últimas eleições venceram os híbridos Opel Ampera/Chevrolet Volt (2012) e o totalmente elétrico Nissan Leaf (2011). 

Mas em 2013, a comissão formada pelas publicações Auto (Itália), Autocar (Inglaterra), Autopista (Espanha), AutoVisie (Holanda), L'Automobile (França), Stern (Alemanha) e VIBilagare (Suécia) voltou a conceder o título de Carro do Ano a um modelo tradicional, basicamente com motor de combustão. E bota tradicional nisso. O Carro do Ano da Europa de 2013 é a sétima geração do Volkswagen Golf, lançado em setembro do ano passado. 

domingo, 3 de março de 2013

Lançamento - Chevrolet Prisma


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO

O Chevrolet Prisma está de volta. O antigo três volumes do Celta agora é a tão esperada versão sedã do moderno Onix, lançado no final do ano passado. Aliás, o novo modelo da GM está mais para um dois volumes e meio, um notchback. Enfim, um cupê de quatro portas com uma pequena extensão para o porta-malas. De pequeno, entretanto, o bagageiro não tem nada. São 500 litros de capacidade.