Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 24 de outubro de 2015

HISTÓRIA - RENAULT MÉGANE 20 ANOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO



Quase no fim da primeira metade da década de 1990, o hatch médio 19 era o que a Renault tinha para enfrentar a já moderna terceira geração do líder do mercado Volkswagen Golf na Europa. A Opel também já possuía o Astra, a Citroën o ZX e a Peugeot o 306. Com exceção deste último, lançado em 1993, todos surgiram dois anos antes.

Renault 19


Mesmo com a Ford ainda contando com o Escort, a Fiat com o Tipo e a Rover com o antigo 400, a marca francesa precisava modernizar o seu representante no segmento. Acontece que o seu sucessor começou a ser desenvolvido já em 1988, quando o 19 foi lançado. O projeto X64 pretendia, não apenas, modernizar o hatch como também criar uma família de carrocerias formada por um hatch de quatro portas, um sedã de três volumes, um cupê esportivo, um roadster, uma perua e uma inédita minivan, mais compacta que a já veterana Espace de 1984.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

LANÇAMENTO - JAGUAR XE

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA QUATRO RODAS


Os sedãs médios de luxo são bem caros no Brasil. Mesmo assim, as marcas alemãs já estão investindo na nacionalização dos modelos. O BMW Série 3 já é fabricado em Santa Catarina e o Mercedes Classe C começa a ser produzido em Itirapina, interior de São Paulo, no ano que vem.

Mas uma tradicional marca britânica quer invadir a festa alemã com o seu novo modelo de entrada: o Jaguar XE, que já está à venda no país. Por enquanto ele é importado, mas há a expectativa de ser fabricado em Itatiaia, aqui no estado do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

LANÇAMENTO - HYUNDAI HB20 2016

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO



Três anos depois do seu lançamento, o primeiro Hyundai projetado especialmente para o mercado brasileiro, o compacto HB20 cumpriu o seu objetivo de ultrapassar o Gol, então líder de mercado. Só que ainda não é o carro mais vendido do país porque o Volkswagen perdeu força com o fim da quarta geração, que sustentava esta liderança. O topo do ranking agora está sendo disputado pelo Fiat Palio e o Chevrolet Onix, este último lançado praticamente junto com o hatch fabricado em Piracicaba (interior de São Paulo).

E para ganhar o fôlego necessário para cumprir, enfim, a missão de ser o carro mais vendido, o HB20 ganhou uma remodelação estética frontal, normal para a sua idade, pois suas linhas continuam modernas. A grade, antes dividida em dois setores, com um friso em preto brilhante, ao redor do emblema, entre os faróis, e a entrada de ar no para-choque, foi unificada em um conjunto hexagonal mais definido, com moldura cromada (exceto para a versão básica) e filetes escuros simétricos. A mesma identidade visual também foi usada recentemente no face-lift do hatch médio i30, do utilitário ix35 e na nova geração do sedã médio Elantra, esta ainda inédita no país.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

LANÇAMENTO - VOLVO XC90 2016

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA QUATRO RODAS


A segunda geração do Volvo XC90 continua fiel às linhas retas da Volvo. Mas na frente e na traseira, a nova identidade visual segue o estilo dos últimos conceitos apresentados pela marca sueca (hoje de propriedade da chinesa Geely) em salões mundo afora.

As novidades são os faróis, com LEDs em formato de T (ou Martelo de Thor), levemente recuados em relação a grade com filetes duplos verticais e, pela primeira vez, com a seta do logotipo alinhada à barra diagonal. Na traseira, as lanternas têm formato de C na parte inferior, mas sobe até os vidros, como uma espada. A plataforma SPA (Scalable Product Architecture) é inteiramente nova e modular. Também servirá de base para as novas gerações do XC60, do sedã S60 e do V40.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

COMPARATIVO - SEDÃS MÉDIOS 2015

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTAS CARRO E QUATRO RODAS (NISSAN SENTRA)



O mercado de sedãs médios não parou desde o último comparativo feito pelo Guscar em julho do ano passado. Mas isso não quer dizer que houve mudanças radicais. Dos seis modelos presentes naquela avaliação, Chevrolet Cruze e Ford Focus ganharam apenas mudanças frontais. A deste último foi mais profunda, enfim uniformizando com o mercado internacional.

Aliás, o Focus não só adotou a frente de grade hexagonal "Aston Martin" como também mudou parcialmente de nome. Agora, a Ford quer que o três volumes seja chamado de Fastback. Deveria ficar de fora, pois os seus concorrentes são sedãs. Mas vamos dar uma chance.

Já o Cruze é como aquele trabalhador praticamente aposentado, mas é chamado para voltar, e se arruma um pouco. Em 2014 eu havia dito que aquele comparativo seria o último com a atual carroceria. Mas só agora ele conheceu a nova geração nos Estados Unidos, que é a que vai substituí-lo aqui em 2017, fabricada na Argentina, e não aquele modelo chinês como tinha dito. Mesmo já desatualizado, também dei uma chance ao Chevrolet.

Além do Focus Fastback Titanium Plus 2.0 Direct Flex e do Cruze LTZ 1.8, também participam o Citroën C4 Lounge Exclusive 1.6 THP, o Honda Civic 2.0 (agora na top EXR, que ainda não tinha sido relançada naquela ocasião), o Toyota Corolla Altis 2.0 e o Nissan Sentra SL. Estes quatro não tiveram mudanças visuais. Aos seis juntam-se o Volkswagen Jetta, agora na versão Highline 2.0 TSI (em 2012, ele participou na configuração Confortline 2.0 8v), e o Renault Fluence, bicampeão dos comparativos de sedãs médios do Guscar (venceu em 2012 e 2011). Ambos regressam após ficarem fora no ano passado. Os dois também ganharam face-lift, sendo que no francês fabricado na Argentina, foi mais visível.

Assim, temos oito modelos comparados (um recorde no blog), quase todos em versão top de linha e com câmbio automático ou automatizado. A exceção é o Sentra, que, para a linha 2016, ganhou a versão Unique, mas eu achei-a tão supérflua que mantive a SL.

Vale lembrar que eu mudei algumas opiniões, com a intenção de corrigir a avaliação e não de prejudicar ou favorecer algum modelo. E os dados de teste são da revista Carro, com exceção do Sentra, que são da Quatro Rodas. No ano passado cinco eram da publicação da Editora Abril. Só o do Civic era da Motorpress. E este comparativo pode ser o último do Cruze (agora sim), Civic, Fluence e Jetta.