terça-feira, 2 de junho de 2015

HISTÓRIA - AERO WILLYS 55 ANOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO 
FOTOS: DIVULGAÇÃO, LIVRO AERO-WILLYS, INTERNET E GUSTAVO DO CARMO

A Willys-Overland do Brasil iniciou suas atividades em 1954, montando o Jeep Universal, o veículo que a matriz americana, fundada em 1907, projetou para a locomoção dos soldados na Segunda Guerra Mundial.

Em 1959, com incentivo do governo de Juscelino Kubitschek para impulsionar a indústria automobilística nacional, a Willys começou a produzir o Dauphine, sedã compacto oriundo da Renault francesa, que foi seu primeiro carro de passeio em nosso país.

Finalmente, em 1960, para ampliar o leque de opções da montadora, foi lançado o sedã luxuoso Aero. O nome dos modelos vinham antes da marca e, portanto, ficou mais conhecido como Aero Willys.


Foto: Reprodução da internet


O Aero era uma linha de veículos lançada nos Estados Unidos em 1952. Com chassi monobloco e carroceria de duas ou quatro portas, com ou sem coluna central e motor de quatro ou seis cilindros em linha, o modelo tinha estrutura comparada aos modernos aviões a jato, conceito chamado de aeroframe, daí o seu nome. Lá, tinha as versões Lark, Wing, Ace e Eagle. Depois surgiu o cupê Bermuda, cuja frente do modelo 1955 foi adotada no Aero Willys brasileiro, com 85,34% de nacionalização, que só tinha quatro portas.

Foto do acervo de José Antonio Penteado Vignoli, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde.

A dianteira tinha um único par de faróis redondos. Abaixo deles duas grades: uma aberta e, mais embaixo, uma fechada, maior, com aberturas verticais em toda sua extensão. Moldura dos faróis, grades e para-choques eram cromados. A lateral era arredondada. Mesmo conceito usado na traseira, cujo vidro era envolvente (nos Estados Unidos era opcional). Media 4,70m de comprimento, 1,59m de altura e 1,82m de largura.

Foto extraída do blog http://aerowillys1961.blogspot.com.br 

No interior, os bancos acomodavam seis pessoas: o motorista e dois caronas na frente e três passageiros atrás. O painel, estofado, era simples, com o velocímetro, que agrupava os marcadores de temperatura, combustível e luzes-espia, além do rádio, cinzeiro e o porta-luvas. As maçanetas e manivelas dos vidros eram cromadas. O volante tinha aros internos cromados. O porta-malas tinha capacidade aproximada para 460 litros.
Fotos do acervo de Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde.

O câmbio tinha três marchas. O motor era o mesmo do Jeep, com seis cilindros em linha de 2.6 litros, carburação simples, que rendia 90 cavalos de potência. O concorrente principal era o Simca Chambord.

Foto: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada


Para 1962, o Aero Willys recebeu mudanças de posição de botões e cinzeiro no painel, assim como novas cores (perdia a opção bicolor, em estilo "saia e blusa"), rodas, calotas e frisos nas laterais (passavam de ondulados a contínuos). No entanto, o friso do porta-malas foi eliminado. O espaço interno foi levemente ampliado.

Foto: Gustavo do Carmo, tirada no Encontro de Carros Antigos do Veteran Car Club do Brasil em 2011

Foto: Gustavo do Carmo, tirada no Encontro de Carros Antigos do Veteran Car Club do Brasil em 2011


Aero Willys 2600



Em outubro de 1962 foi apresentado um Aero Willys inteiramente novo, chamado 2600. As linhas arredondadas americanas dos anos 50 deram lugar ao estilo quadrado e reto da nova década, projetado no Brasil (Projeto 213), com friso cromado em toda lateral e outro mais largo na base da coluna lateral. No entanto, chassi, portas e tampas do capô e porta-malas, incluindo maçanetas, eram do velho Aero-Willys. 


A frente continuou com faróis redondos posicionados acima do capô. Mas um detalhe que a imprensa especializada não gostou foi a "pestana" na moldura dos faróis, na verdade, uma carenagem mais avançada na parte superior. A grade aumentou, passou a ter frisos horizontais e foi dividida por um pilar que lembra o Palácio da Alvorada em Brasília. O mesmo recurso de estilo já adotado na Rural, nacionalizada três anos antes. Os faróis auxiliares cresceram. A traseira continuou com o estilo rabo-de-peixe, comum nos anos 50, mas já fora de moda na década seguinte. As lanternas eram posicionadas nas barbatanas. O vidro, antes envolvente, agora é recuado. Na base da tampa do porta-malas havia uma série de frisos cromados verticais. 

Foto: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada

Os engenheiros brasileiros ficaram tão orgulhosos que decidiram apresentar o carro no Salão de Paris, um mês antes do de São Paulo.

O Aero-Willys no Salão de Paris 1962 / Foto do acervo de Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde.

No interior, o quadro de instrumentos passava a ter revestimento em madeira jacarandá e três mostradores. O resto do painel continuou horizontal, com revestimento estofado. Já a suspensão, direção e o motor, cuja cilindrada 2600 passou a batizar a nova geração, continuavam vindo do Jeep. O motor passou a ter dois carburadores e a potência subiu para 110 cavalos.

Foto: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada


Para 1965 a traseira foi modificada, ficando maior, perdendo cromados e com a extremidade caída, em vez de empinada, como antes, enfraquecendo o estilo rabo de peixe, já fora de moda. Os cromados verticais também sumiram. O para-choque ganhou dois níveis, sendo que o de cima era interrompido para dar visibilidade à placa. Os faróis também perderam a controversa pestana. O câmbio passou a ter quatro marchas sincronizadas. Os freios ficaram menos duros.


Para o ano seguinte, a Willys desafiou o publicitário Mauro Salles a criar uma versão de luxo do Aero, chamada Itamaraty, em homenagem ao Palácio homônimo, sede do Ministério das Relações Exteriores, tanto aqui no Rio de Janeiro, quando era capital, quanto em Brasília.

Foto: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada

Vinha equipada com itens opcionais no Aero comum, como bancos revestidos em couro com desenho exclusivo, rádio com dois alto-falantes, ventilador com duas velocidades, bolsas para jornais e objetos, apoio escamoteável para os braços no banco traseiro e acendedor de cigarros. Os instrumentos tinham fundo branco. Visualmente, a grade dianteira se diferenciava do Aero comum por ser inteiriça em vez de dividida. A traseira, por sua vez, tinha lanternas horizontais.

Foto: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada

O Willys Itamaraty só mereceu o apelido de Palácio sobre Rodas com o lançamento do Itamaraty Executivo, no Salão do Automóvel de 1966, para 1967, que nada mais era uma limousine, com carroceria alongada em parceria com a Karmann-Ghia. A única fabricada em série no Brasil até hoje.


Fotos: Rogério de Simone, co-autor do livro Aero-Willys, da série Clássicos do Brasil, Editora Alaúde, onde esta foto foi publicada

 O Executivo aumentou o comprimento de 4,81m para 5,52m. Tinha capacidade para oito passageiros (seis mais dois bancos retráteis - a top Especial só levava 3+2+2) e era equipada com vidro de comando elétrico separando o compartimento do motorista da parte traseira, rádio com quatro faixas de onda, toca-fitas de cartucho Clarion, apoio móvel para os pés, detalhes de acabamento em jacarandá maciço, vidros escurecidos, ar-condicionado - direcionado, naturalmente, ao compartimento traseiro e posteriormente foram estendidos ao Itamaraty curto, como opcional - e até barbeador elétrico. Foram produzidas apenas 27 unidades. 

O Itamaraty curto continuou com o mesmo 2.6 de 110 cv. Mas o Executivo recebeu o 3.0 de carburação dupla e 132 cavalos de potência, chamado de 3000. A frente foi modificada, com grade mais baixa, frisos estilizados e faróis auxiliares retangulares e direcionais. Após as 27 unidades, o Itamaraty Standard recebeu essas melhorias do Executivo como o motor mais potente, o ar condicionado, o toca-fitas e a nova frente. O Aero ganhou divisão nas lanternas e quadro com cinco instrumentos no painel.


Em 1967 a Willys-Overland foi comprada pela Ford e os sedãs passaram a se chamar Aero Willys Ford e Itamaraty Ford, além de ter emblemas Ford em cada detalhe do carro. Além disso o Itamaraty teve o jacarandá trocado por imitação de plástico e chegou a receber um motor de 140 cavalos de potência, mas a dupla saiu de linha em 1971, enfraquecida pelas poucas vendas e para abrir espaço para o Ford Galaxie, que viveria mais dez anos. Em onze anos de existência do Aero e cinco do Itamaraty foram produzidas 99.621 e 17.216, respectivamente. Dizem que o destino dos dois sedãs luxuosos da Willys teria sido selado dentro de um Itamaraty, a pedido do presidente mundial da Ford, Henry Ford II, em visita à fábrica brasileira.


Nenhum comentário:

últimos posts

Tópicos

Lançamento Nacional (193) Volkswagen (108) Chevrolet (106) História (101) Ford (91) Fiat (82) Comparativos (74) Carro do Ano (73) Lançamento Internacional (73) Em Breve no Brasil (58) Retrospectiva (51) Renault (47) Honda (46) Toyota (46) Nissan (41) Citroën (39) Hyundai (39) Especial (38) Peugeot (37) Sonhos de Consumo (37) Audi (35) Baba Brasil (29) Kia (27) Mercedes (27) BMW (24) No Mercado (22) História em Miniatura (20) Cruze (18) Gol (18) JAC (17) Lembra de mim? (17) Motor do Ano (17) Mário Coutinho Leão (17) Corolla (16) História em Fotos (16) Opel (16) Pré-estreia (16) Rádio Motor (16) Analisando (15) Fiesta (15) Ka (15) Civic (14) Editorial (14) Golf (14) Volvo (14) Focus (13) Salão de Genebra 2014 (12) Carro do Ano 2013 (11) Carro do Ano 2014 (11) Carro do Ano 2015 (11) Guscar em Genebra (11) Mitsubishi (11) Palio (11) Retrospectiva 2016 (11) Uno (11) Carro do Ano 2010 (10) Carro do Ano 2011 (10) Corvette (10) Ecosport (10) Fox (10) HB20 (10) Suzuki (10) Utilitário do Ano (10) up! (10) Avaliação (9) Carro do Ano 2012 (9) Chery (9) Fit (9) Jaguar (9) Jeep (9) March (9) 500 (8) Carro do Ano 2016 (8) Duster (8) Onix (8) Polo (8) Retrospectiva 2015 (8) Siena (8) i30 (8) 3008 (7) Carro Premium (7) City (7) Dodge (7) Fluence (7) Land Rover (7) Melhores do Ano (7) Mini (7) Porsche (7) Prêmios Suplementares (7) Ranger (7) Renegade (7) Salão de Genebra 2012 (7) Versa (7) Voyage (7) 208 (6) 308 (6) Aircross (6) Alfa Romeo (6) C3 (6) C4 (6) CR-V (6) Carro do Ano 2017 (6) Etios (6) Ferrari (6) Fusion (6) McLaren (6) Mustang (6) Passat (6) Punto (6) S10 (6) Salão de Xangai (6) Sandero (6) Saveiro (6) Sentra (6) Sportage (6) Strada (6) Toro (6) Tracker (6) A3 (5) Accord (5) Bentley (5) Cerato (5) Classe E (5) Cobalt (5) Eles são 10! (5) Guscar MOTO (5) HR-V (5) Hilux (5) Jetta (5) Lamborghini (5) Lifan (5) Logan (5) Picape do Ano (5) Salão de Pequim 2014 (5) Seat (5) Teste de pista (5) 2008 (4) 408 (4) A4 (4) A5 (4) Agile (4) Amarok (4) Astra (4) Campeões de Audiência (4) Captiva (4) Captur (4) Classe C (4) Corsa (4) DS4 (4) Edge (4) Escort (4) Especial Crossovers (4) Frontier (4) Fusca (4) HB20S (4) Hilux SW4 (4) Kicks (4) L200 (4) Livina (4) Mini Cooper (4) Mégane (4) Optima (4) Picanto (4) Prisma (4) Q3 (4) Sonic (4) Swift (4) Série 1 (4) Série 3 (4) Vitara (4) XE (4) 911 (3) Bravo (3) Camaro (3) Camry (3) Celta (3) Creta (3) DS3 (3) Direto do Arquivo (3) Discovery (3) GLC (3) Giulia (3) Ibiza (3) J3 (3) Malibu (3) Mobi (3) Monza (3) Opala (3) Outlander (3) P1 (3) Panamera (3) Parati (3) Polara (3) Prius (3) QQ (3) RAV4 (3) Salões (3) Sorento (3) T5 (3) TT (3) Tiggo (3) Utilitário do Ano 2011 (3) Vectra (3) X60 (3) XC90 (3) Yaris (3) 147 (2) 507 (2) 508 (2) A1 (2) A8 (2) AMG GT (2) ASX (2) Adam (2) Aero (2) Altima (2) Ayrton Senna (2) Azera (2) Bentayga (2) Bolt (2) C1 (2) C4 Lounge (2) C4 Picasso (2) CLA (2) Calibra (2) Carro Verde do Ano (2) Challenger (2) Chevette (2) Chrysler (2) Classe A (2) Classe B (2) Classe ML (2) Classe S (2) Classic (2) Continental GT (2) DS5 (2) Daewoo (2) Datsun (2) Elantra (2) Elba (2) Espero (2) Estão comentando (2) Expert (2) Fim de Temporada (2) Fiorino (2) GLA (2) GLE (2) Genesis (2) Go (2) Golf Variant (2) Importados de Ontem (2) Insignia (2) J2 (2) J5 (2) J6 (2) Journey (2) Jumpy (2) Kadett (2) Kadjar (2) Kombi (2) La Ferrari (2) Lancia (2) Leaf (2) Linea (2) Matérias Especiais (2) Mazda (2) Mille (2) Mini Clubman (2) Mondeo (2) Montana (2) Motor do Ano 2011 (2) Motor do Ano 2013 (2) Motor do Ano 2014 (2) Motor do Ano 2015 (2) Motor do Ano 2016 (2) Motor do Ano 2017 (2) Omega (2) Oroch (2) Pajero Dakar (2) Pontiac (2) Pré-estréia (2) Q5 (2) Qoros (2) RS6 (2) Range Rover (2) Rinspeed (2) S-Cross (2) S60 (2) Santana (2) Skoda (2) Smart fortwo (2) Soul (2) Spacefox (2) Symbol (2) Série 2 (2) Série 4 (2) T-Roc (2) T6 (2) Tiguan (2) Tipo (2) Transit (2) Twingo (2) Utilitário do Ano 2010 (2) Utilitário do Ano 2013 (2) Utilitário do Ano 2014 (2) Utilitário do Ano 2015 (2) V40 (2) V90 (2) Vectra GT (2) Veneno (2) Volkswagen Jetta (2) Volt (2) Willys (2) X1 (2) X3 (2) X6 (2) ZX (2) i8 (2) 107 (1) 108 (1) 124 Spider (1) 155 (1) 156 (1) 159 (1) 164 (1) 206 (1) 207 Passion (1) 2CV (1) 300C (1) 301 (1) 4008 (1) 405 (1) 4C (1) 500X (1) 530 (1) 570GT (1) 650S (1) 75 (1) A Concept (1) A6 (1) Alaskan (1) Ami (1) Ampera (1) Anísio Campos (1) Apollo (1) Argo (1) Arona (1) Arteon (1) As Belas do Salão (1) Aston Martin (1) Audi A3 Sedan (1) Aygo (1) B-Max (1) BMW K 1300 R (1) Bertone (1) Brasília (1) Brivido (1) Bugatti (1) C-Elysée (1) C-XR (1) C3 Picasso (1) C4 Cactus (1) C5 (1) Cadenza (1) Cambiano (1) Carens (1) Carro Premium 2010 (1) Carro Premium 2011 (1) Carro Premium 2012 (1) Carro Premium 2013 (1) Carro Premium 2014 (1) Carro Premium 2015 (1) Carro Premium 2016 (1) Carro Premium 2017 (1) Carros Antigos (1) Cee'd (1) Celer (1) Cherokee (1) Citigo (1) Classe X (1) Clio (1) Clubman (1) Colorado (1) Compass (1) Concept Coupé (1) Concept Estate (1) Concept XC Coupé (1) Continental (1) Corcel (1) Cordoba (1) Cross Coupé (1) Crossland X (1) D-Max (1) DS 6WR (1) Dacia (1) Dacia Logan (1) Dauphine (1) De olho na Notícia (1) Del Rey (1) Delta (1) Direto da Tela (1) Divulgação (1) Doblò (1) Dock+Go (1) E-Pace (1) E-Type (1) EC7 (1) Emerge-E (1) Enjoy (1) Entre linhas (1) Eos (1) Equinox (1) Equus (1) Espace (1) Evoque (1) Explorer (1) F-Type (1) FF (1) Face (1) Faróis (1) Ferrari 812 Superfast (1) Fiat Coupé (1) Fiat Uno Turbo i.e. (1) Fiat. Ford (1) Firebird (1) Ford GT (1) Ford T (1) Ford. Ka (1) Freemont (1) GS (1) GT4 Stinger. Soul (1) GTC4Lusso (1) Geely (1) Ghibli (1) Giulietta (1) Guscar 10 Anos (1) Hall da Fama Autoesporte (1) Hi-Cross (1) Hoggar (1) Honda CB 600F Hornet (1) Huracan (1) I-Oniq (1) Idea (1) Inca (1) Infiniti (1) Intrado (1) Invitation (1) Isuzu (1) Italdesign (1) KAWASAKI Z300 (1) KTM 390 Duke (1) Karl (1) Kawasaki (1) Kawasaki Ninja 250R (1) Kawasaki Ninja 300 (1) Koleos (1) Kona (1) Kuga (1) LF320 (1) LF620 (1) Lexus (1) Lincoln (1) Lodgy (1) Lotus (1) MX3 (1) Maserati (1) Maverick (1) Mercedes. A3 (1) Meriva (1) MiTo (1) Mii (1) Miura (1) Model S (1) Mokka (1) Motor do Ano 2010 (1) NMC (1) NS4 (1) NSX (1) New Beetle (1) Nexon (1) Notícias (1) Nuccio (1) Oldsmobile (1) Pacifica (1) Pajero (1) Picape do Ano 2010 (1) Picape do Ano 2011 (1) Picape do Ano 2013 (1) Picape do Ano 2014 (1) Picape do Ano 2015 (1) Picape do Ano 2016 (1) Picape do Ano 2017 (1) Pininfarina (1) Ponto a Ponto (1) Proace (1) Prêmio (1) Pulsar (1) Q2 (1) Qoros 2 (1) Qoros 3 (1) RX (1) RX7 (1) Raridade (1) Romi (1) Romi Isetta (1) S18 (1) S90 (1) SL (1) SLK (1) SP2 (1) SX4 (1) SXC (1) Santa Fe (1) Scirocco (1) Scudo (1) Scénic (1) Smart (1) Smart forfour (1) Sonata (1) Spin (1) Ssangyong (1) Sunny (1) Série 5 (1) Série 6 (1) Série 7 (1) T40 (1) T8 (1) Talisman (1) Tata (1) Tempra (1) Tempra Pick-up (1) Tesla (1) Teste de Consumo (1) Tiida (1) Toledo (1) Toronado (1) Touareg (1) Tourneo (1) Toyota Corolla (1) Trailblazer (1) Trax (1) Tucson (1) Utilitário do Ano 2012 (1) V60 (1) Vale a Pena? (1) Vario (1) Vedette (1) Veloster (1) Veraneio (1) Versailles (1) Vezel (1) Viaggio (1) Vision C (1) Volkswagen GOLF (1) Volkswagen Gol Comfortline 1.0 (1) Vídeos (1) X-ChangE (1) XC40 (1) XC60 (1) XF (1) XIV-2 (1) Yamaha XT 600Z Ténéré (1) Yamaha YBR 250 Fazer (1) Z4 (1) Zest (1) Zoe (1) ix35 (1) recall (1)