terça-feira, 2 de julho de 2013

COMPARATIVO - HONDA CR-V x KIA SPORTAGE x TOYOTA RAV4

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA QUATRO RODAS


Férias de julho. Muita gente aproveita este recesso tanto quanto no verão. Alguns tiram as suas férias do trabalho neste mês exatamente para viajarem com os filhos, que não têm aulas na escola.

O destino preferido são as cidades serranas, como Petrópolis, no Rio, ou Campos do Jordão, em São Paulo. Alguns vão mais longe e por caminhos difíceis, atravessando estradas de terra. Um bom utilitário com tração nas quatro rodas e muito espaço interno para a família e as respectivas bagagens é o mais apropriado. No primeiro comparativo do segundo semestre de 2013 apresento três utilitários esportivos médios que podem satisfazer esta necessidade. 

Todos são comparados pela primeira vez no Guscar, mas o japonês Toyota RAV4 é o mais novo no mercado (chegou apenas há pouco mais de um mês). A intenção era desafiá-lo com o seu maior rival histórico, o conterrâneo Honda CR-V - importado do México, que agora tem motor bicombustível no Brasil - e dois sul-coreanos do mesmo grupo fabricante, mas de importadores diferentes e rivais: o Kia Sportage e o Hyundai ix35, líder do mercado. Acontece que este último vai ficar de fora porque a CAOA, seu importador, não informa corretamente a sua lista de equipamentos e sequer o preço no seu site. Quando procurada, não retorna. Assim, temos apenas três crossovers, como são chamados os veículos entre o fora de estrada e o passeio.

Eles têm opção de tração 4x4, que são as mais equipadas no Honda e no Toyota. No Kia, estranhamente, a versão integral faz parte da nomenclatura LX, trazendo poucos itens dignos para um utilitário esportivo e é mais barata, não só em relação à versão 4x2 completa, chamada de EX, como também aos concorrentes 4x4. Já o Sportage EX 4x2 completo é mais caro que os rivais integrais. Difícil de entender.

Como a revista Quatro Rodas testou os três com tração 4x2 e o público deve preferir a tração 4x4 para as férias no campo, decidi juntar na pontuação os dados 4x2 com o preço e equipamentos dos 4x4. A novidade é que, a partir deste comparativo, alguns quesitos  darão pontuação em dobro para o vencedor. Preço, equipamentos e segurança terão peso maior em todos os segmentos e, neste confronto de utilitários esportivos médios, porta-malas, conforto (nível de ruído) e espaço interno valerão mais para quem ganhar. 


Estilo e Acabamento



O Kia Sportage já tem três anos, mas seu desenho, assinado pelo hoje presidente da marca Peter Schreyer, ainda é mais atraente, equilibrado e leve que os dois rivais japoneses, mais novos, que empataram em segundo no estilo. O RAV4 é reto demais, o que dá uma validade mais curta à sua modernidade, ainda mais que esta quarta geração seguiu o recorte anguloso das janelas laterais da carroceria anterior. Só a frente que é bem atraente. Já o CR-V tem uma traseira pesada, com lanternas imitando o Volvo XC60 e janelas laterais angulosas e curvadas demais. O destaque positivo também é a sua dianteira com faróis espichados e moldura da grade sobreposta a eles.


Se no visual o Honda passa a impressão de ser pesado, ele compensa com o seu interior de aparência mais luxuosa, com materiais mais sofisticados. Na versão EX-L, a top de linha, há sistema multimídia com GPS no console central. Na LX uma telinha fica escondida numa capela no alto do painel. O RAV4 teria o melhor acabamento se a faixa transversal do painel fosse revestida de couro legítimo, mas é um plástico que nem sequer pode ser chamado de couro sintético. A modernidade do console central flutuante acabou prejudicando o acabamento, passando uma aparência desleixada com a falta da tampa do porta-luvas. Mesmo assim, é superior à simplicidade plástica do Kia Sportage.



Espaço interno e Porta-malas


 A maior distância entre-eixos de 2,66m colaborou para que o RAV4 acomodasse melhor as pernas dos ocupantes no banco de trás. Atrás dele, ficam empatados o CR-V e o Sportage, embora o Kia tenha a mais distância entre as rodas (2,64 contra 2,62 m). O assoalho plano do Honda ajudou a igualar a sensação de espaço.



No porta-malas a situação se inverte, mesmo que o CR-V não tenha ficado em último. Ele tem a maior capacidade, de 589 litros. Logo atrás vem o Sportage, com 564 e na lanterninha o RAV4 com 476 litros. Espaço interno e porta-malas têm peso 2 neste comparativo. 


Motor e Câmbio

Se já não bastasse ser abastecido somente com gasolina, o que o coloca em desvantagem no mercado, o motor 2.0 VVT-i do RAV4 é o menos potente dos três. Tem 145 cavalos contra 150 do CR-V (155 cv com álcool) e 169 do Sportage (178 cv), ambos de dois litros. O Toyota, entretanto, é o único que tem a opção de outro motor: um 2.5, com 179 cavalos, mas com câmbio automático convencional de seis marchas.

Kia Sportage
Honda CR-V
RAV4


Já a transmissão automática do RAV4 2.0 é a CVT, mais moderna, embora seja alvo de críticas por causa da manutenção cara e da falta de agilidade. Continuamente variável, chamada popularmente por causa da sigla em inglês, tem relações infinitas, mas desenvolve no máximo sete velocidades. Abaixo dele está o automático sequencial de seis marchas do Kia e o automático de cinco do Honda.

Desempenho e Consumo

Os três crossovers tiveram aceleração de 0 a 100 km/h parecida, na faixa de 12 segundos, segundo a revista Quatro Rodas. O CR-V tem um décimo além deste tempo, o Sportage dois e o RAV4 seis. Na retomada entre 80 e 120 km/h, a vantagem (pequena) é do Kia, com 8,2 segundos. O Honda retoma quatro décimos mais tarde. Empate técnico entre os flex. Já o Toyota levou 11 segundos, talvez prejudicado pela indecisão do câmbio CVT.

No entanto, o RAV4 se mostrou mais econômico, graças ao motor exclusivamente a gasolina, pois a Quatro Rodas testa os modelos bicombustíveis com álcool. O japonês autêntico percorre 10,3 km/litro na cidade e 12,6 km/l na estrada. O CR-V fez 7,4 km/l e 9,4 km/l, respectivamente. O botão Econ, que modera o desempenho e o ar condicionado, não contribuiu muito para melhorar o consumo. Por fim, o Sportage, 7,4 e 9,5 km/l. Deste último também tenho o consumo abastecido com gasolina, que é de 9,6 e 12,4 km/l, mas não tiro o ponto extra do Honda pelo empate técnico.

Segurança e Conforto

O Sportage já começa em desvantagem por só oferecer cinto de segurança de 3 pontos para todos os cinco passageiros nas versões EX, mais caras, que são 4x2. O pacote mais completo, chamado de P.588, ainda vem com 10 airbags (frontais, laterais e de cortina) e, junto com o P.586, traz controles de tração e estabilidade e auxílio de frenagem em declives. Na 4x4 ( LX P.676), que tem poucos equipamentos, o cinto central traseiro é subabdominal e os airbags são apenas frontais.

No RAV4 e no CR-V, só os 4x4 têm bolsas laterais e de cortina, além dos frontais, sendo que no Honda há detector de crianças e ocupante mal posicionado, além de assistente de partida em aclive. Os tão cobrados cintos de segurança de 3 pontos e apoios de cabeça para todos estão presentes nos dois desde as suas versões básicas.

É para evitar estas discrepâncias na política das montadoras e importadoras que eu considero sempre a frenagem como classificação de segurança e o CR-V foi o melhor. Andando a 120 km/h, para em 64,8 metros, contra 66,1 m do Sportage e 68,7m do RAV4.

E a segurança vai ter peso maior em todos os comparativos do blog a partir deste. Assim, o Honda soma seis pontos. O nível de ruído também terá o dobro da pontuação para o vencedor, mas somente neste segmento, por enquanto. Aí o RAV4 foi melhor, registrando 64,3 decibéis, novamente a 120 km/h. O CR-V ficou em segundo, com 65,6 dB e o Sportage em terceiro, com 67,6 dB. Todos os números são da revista Quatro Rodas.

Preço, Equipamentos de série e Assistência

A Quatro Rodas testou os três modelos com tração só nas rodas da frente e motor 2.0 (lembrando que o RAV4 é o único que tem opção 2.5). Assim, para ficar tudo igual, o mais barato com a tração mais simples é o Kia Sportage LX com câmbio automático, que custa R$ 94.600. O coreano é o único que tem câmbio manual de série. A seguir vem o Toyota, por R$ 96.900. E o mais caro, o CR-V, por R$ 98.900.


A lista de equipamentos de série nos 4x2 é muito semelhante nos três modelos: poucos recursos de destaque, tendo apenas o básico para o segmento: ar condicionado manual, direção elétrica, trio elétrico, airbags frontais e freios ABS com EBD, som com MP3, controle no volante regulável em altura e entradas auxiliares e sensor de estacionamento. Honda e Toyota têm Bluetooth, ajuste de alcance do volante e computador de bordo. 

Se o comprador quiser um Sportage completo, com ar condicionado digital, retrovisores rebatíveis e aquecidos, computador de bordo, teto solar panorâmico, 10 airbags, cinto de segurança e apoio de cabeça para todos os passageiros, câmera de ré, bancos em couro, banco do motorista com oito posições de ajuste elétrico, piloto automático, controles de tração e estabilidade, controle de frenagem em declive e assistência de partida e aclives tem que pagar R$ 117.300 pela EX e abrir mão da tração 4x4. Uma estranha política de distribuição de equipamentos que prejudicou bastante a sua relação custo-benefício.


O Sportage LX 4x4 custa R$ 99.600 e tem os mesmos equipamentos da versão básica com câmbio automático, citados há dois parágrafos. O CR-V 4x4 é a versão EX-L, que tem ar condicionado digital, airbags laterais, GPS, retrovisores rebatíveis, seis airbags, sensor de chuva, controle de estabilidade, sistema de frenagem em urgência e assistente de partida em aclive. É vendido por R$ 114.900, sendo o mais caro dos três com tração integral. O RAV4 2.0 4x4 sai por R$ 109.900 e adiciona ar condicionado digital, sistema multimídia, bancos em couro, ajuste elétrico do banco do motorista, câmera de ré, piloto automático, botão de partida e abertura sem chave e seis airbags. Por causa do preço mais em conta que o CR-V e com equipamentos semelhantes, o RAV4 é o que tem melhor relação custo-benefício, seja 4x2 ou 4x4. E o peso é dobrado.

A maior garantia é da Kia, que oferece cinco anos, contra três de Honda e Toyota. Mas o que conta mesmo é o maior número de concessionárias, que é da Honda. São 191 revendas contra 166 da Kia e 132 da Toyota.



Conclusão

O Kia Sportage pode ser considerado um carro bonitinho, mas ordinário. É o mais barato e tem estilo atraente, mas seu acabamento possui muito plástico, deve equipamentos na versão 4x4 e quando fica completo com tração dianteira se torna caro. Apesar do motor 2.0 mais potente e de dividir o melhor desempenho com o CR-V ficou  atrás dos japoneses. 

Apesar de ter ficado mais vezes em último lugar (motor, desempenho 4x2, rede de concessionárias, porta-malas e frenagem 4x2, sendo que nos dois últimos o CR-V abriu cinco pontos por ter peso maior), o Toyota RAV4 ficou em segundo lugar. Foi o melhor em três itens com pontuação em dobro (nível de ruído, espaço interno e equipamentos da versão 4x4, este dividido com o Honda). Os outros destaques foram no câmbio e no consumo com tração 4x2.

O CR-V ganhou o comparativo sendo o melhor em seis itens. Em desempenho ele empatou com o Kia e o seu nível de equipamentos é muito semelhante ao do RAV4. Mas em acabamento, assistência, frenagem e porta-malas reinou sozinho, sendo os dois últimos com peso maior. Seu ponto fraco está no preço alto e no câmbio automático não-sequencial de apenas cinco marchas. Se não tem o melhor custo-benefício, o nipo-mexicano tem o melhor conjunto técnico.


Classificação

1º HONDA CR-V 2.0 16v i-VTEC - 39 Pontos


Motor: Quatro cilindros, transversal, flex, 1.997 cm³, 16 válvulas
Potência: 150 cv (gasolina) e 155 cv (álcool)
Câmbio: Automático de 5 marchas
Tração: 4x2 ou 4x4 Real Time
Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,1 segundos (revista Quatro Rodas, com álcool)
Velocidade máxima: Não informada
Consumo: 7,4 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada (Quatro Rodas, com álcool)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 4,53/1,82/1,65/2,62m
Porta-malas: 589 litros
Tanque: 71 litros
Preço:  R$ 98.900 (LX automática, 4x2) e R$ 114.900 (EXL aut. 4x4)

2º TOYOTA RAV4 2.0 16v DUAL-VVTi - 35 pontos

Motor: Quatro cilindros, transversal, Dual VVT-i, gasolina, 1.987, 16 válvulas
Potência: 145 cv
Câmbio: Automático CVT de 7 marchas 
Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,6 segundos (revista Quatro Rodas)
Velocidade máxima: Não informada
Consumo: 10,3 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada (Quatro Rodas)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 4,57/1,85/1,72/2,66m
Porta-malas: 476 litros
Tanque: 60 litros
Preço: R$ 96.900 (4x2) e R$ 109.900 (4x4) 

3º KIA SPORTAGE 2.0 16v - 30 pontos

Motor: Quatro cilindros, transversal, flex, 1.999, 16 válvulas
Potência: 169cv (gasolina) e 178 cv (álcool)
Câmbio: Automático sequencial de 6 marchas 
Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,2 segundos (revista Quatro Rodas, com álcool)
Velocidade máxima: Não informada
Consumo: 7,4 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada (Quatro Rodas)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 4,45/1,86/1,65/2,64m
Porta-malas: 564 litros
Tanque: 58 litros
Preço: R$ 96.900 (4x2) e R$ 109.900 (4x4) 


2 comentários:

Anônimo disse...

Honda CR-V tem tecnologia Flex com conceito Honda Flex One, possui navegador GPS com tela de 6,5 polegadas, totalmente colorida e operação touch screen,sistema Bluetooth, câmera de ré, vem equipado com o botão ECON, seis airbagas (frontal, lateral e cortina), ar-condicionado automático digital dual-zone, sistema HSA (Hill Start Assist),sistema MA-EPS (Motion Adaptative Electric Power Steering – Direção Elétrica Adaptável ao Movimento), que atua em conjunto com a tecnologia VSA (Vehicle Stability Assist), evitando possíveis instabilidades e tornando a condução muito mais segura.

Mário Coutinho Leão disse...

Por todas essas características ele venceu o comparativo. E os concorrentes que se cuidem...