Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

RETROSPECTIVA 2016 - COMPARATIVOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Neste 2016 difícil para todo mundo fiz apenas cinco comparativos. Comecei o ano com a vitória do Gol, agora com motor 1.0 de três cilindros, sobre seus rivais Hyundai HB20, Ford Ka - tricilíndricos como ele - e Fiat Palio e Chevrolet Onix (antes do face-lift). A inédita picape média Fiat Toro, fabricada na mesma planta do Jeep Renegade, em Goiana, levou a melhor sobre a sua única concorrente direta, a Renault Duster Oroch. Dois veteranos no mercado venceram comparativos este ano: o Golf 1.4 TSI (contra Ford Focus e Hyundai i30) e o Honda HR-V (entre os superados, estavam o Nissan Kicks e o JAC T5, lançados este ano). Mas quem obteve o melhor aproveitamento foi o Ford Fiesta com motor 1.0 Ecoboost, com três cilindros, turbo e injeção direta, com 84,6%. Ele derrotou o Hyundai HB20 1.0 Turbo e o Peugeot 208 1.2 PureTech.

Desta vez, definitivamente, o vencedor de melhor aproveitamento não levará o título de Carro do Ano 2017 do Guscar. Farei outra escolha na retrospectiva dos lançamentos, em breve, só com modelos lançados em 2016.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

HISTÓRIA - HONDA CR-V



1a Geração - 1995 

Apresentado no Salão de Tóquio de 1995, o CR-V foi a resposta da Honda ao sucesso do rival Toyota RAV-4, lançado no ano anterior.

O utilitário esportivo nasceu para ser um veículo recreativo, que pudesse enfrentar trilhas leves. Daí o R-V do nome. Já o C podia ter dois significados. Para uns queria dizer Civic, que lhe emprestava a plataforma. Outros o identificavam como Compact, posicionamento que só valia se comparado ao antigo Passport, desconhecido no Brasil.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

EM BREVE NO BRASIL - HONDA CR-V 2018

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Ao contrário do Civic (sedã que lhe emprestou a plataforma e vários componentes), que mudou radicalmente de estilo, a quinta geração do crossover CR-V (que nasceu como um jipinho compacto em 1995), é mais um daqueles modelos totalmente novos que conservaram traços da geração anterior para manter a identidade. Faróis, cromados da grade e da traseira e lanternas lembram muito o face-lift de 2014. 

sábado, 10 de dezembro de 2016

HISTÓRIA EM FOTOS - FORD FIESTA 40 ANOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 


Em 1976, ano seguinte ao lançamento da segunda geração do Escort europeu, a Ford lançou um modelo mais compacto, pois a crise mundial do petróleo, ocorrida em 1973, ainda obrigava veículos de todo o mundo a economizarem combustível. O Fiesta pretendia fazer uma festa no segmento representado na época pelo Volkswagen Polo (recém-lançado), Fiat 127, Renault 5 e Opel Kadett, que então tinha a mesma carroceria do nosso Chevette.

O projeto Torino, depois Bobcat, há havia começado em 1969 e foi desenvolvido não apenas pelas filiais da Ford na Alemanha e na Inglaterra, mas também com a participação da matriz norte-americana (com aprovação do próprio Henry Ford II, neto do fundador da empresa) e dos italianos da Ghia. A fabricação ficou a cargo da Alemanha (Saarlouis), Inglaterra (Dagenham) e Espanha (Valencia), mas também previa a venda nos Estados Unidos, América do Sul e Ásia. Foram investidos 1 bilhão de dólares. 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - FORD FIESTA 2018

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


O Ford Fiesta se junta a Audi A4, Porsche Panamera, Honda CR-V e Hyundai Elantra na lista de modelos que parecem ter passado apenas por um face-lift, mas são novas gerações

No caso do Fiesta, a sensação maior foi de um "butt-lift", já que as lanternas traseiras foram a modificação mais visível. Elas deixaram de ser triangulares verticais, entre a tampa e o vidro traseiro para assumirem a trivial posição horizontal, tirando até a ousadia do estilo.