Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 30 de janeiro de 2016

LANÇAMENTO - MINI CLUBMAN

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Pouco mais de seis meses depois de ser apresentado mundialmente, o Mini Clubman, carroceria "perua" da nova geração do Cooper, já está à venda no Brasil, em apenas uma versão (a Cooper S) e com motor 2.0 turbo. A versão com o tricilíndrico 1.5 chega em breve. 

O Clubman começa custando salgados R$ 179.950 e, obviamente, vai disputar um segmento de luxo com Land Rover Evoque (R$ 281 mil), Mercedes GLA (R$ 136.900) e Audi Q3 (R$ 176.990). Ele ultrapassa em preço e tamanho o Mini Countryman, ainda da geração antiga, que é fabricado em Santa Catarina e será reposicionado entre o hatch de quatro portas e o Clubman. 

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

HISTÓRIA - CHEVROLET ONIX: O NOVO CAMPEÃO DE VENDAS DO BRASIL

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO



Quando, em 2014, o Fiat Palio destronou o Volkswagen Gol da liderança de vendas anuais no varejo, posto que ocupou por 27 anos, eu contei a sua história no ano passado.

Eu só não esperava que, no ano seguinte, 2015, o Palio já seria superado pelo Chevrolet Onix, um compacto criado em 2012, exclusivamente para o mercado brasileiro, que é pobre e não merece um carro de qualidade. Cheguei até a dizer, no texto da história do Celta, que o Onix não ultrapassaria o Palio.

Ok. Engano meu. Mas a diferença foi de apenas 24 carros. O Onix registrou 103.328 unidades vendidas. O Palio ficou com 103.304. O outrora eterno líder Gol caiu para o quinto lugar, com 71.653.

EDITORIAL - BEM-VINDOS A 2016

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


No próximo post começo mais uma temporada do Guscar, embora o Mário Coutinho já tenha começado a testar as suas motos. O ano que passou foi difícil, com crise econômica no país, queda nas vendas e poucos lançamentos nacionais. Os utilitários esportivos compactos se destacaram. Três deles foram lançados em 2015: Honda HR-V, Jeep Renegade e Peugeot 2008.

Para 2016 temos a expectativa da vinda da picape Fiat Toro, do compacto Fiat Mobi, do face-lift da Ford Ranger, da chegada do Kia Rio (há anos especulado no país) e das novas gerações do Chevrolet Cruze, Honda Civic, Kia Sportage e Toyota Hilux SW4. Peugeot 308 e Chevrolet Malibu dependem do dólar (em alta).

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - COMPARATIVO: FIAT 500 ABARTH x CITROËN DS3

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
DADOS DE TESTE: REVISTA QUATRO RODAS


Popular na Europa, mas discreto no Brasil. O envenenado escorpião da marca esportiva do preparador austríaco Carlo Abarth (morto há mais de 35 anos) só esteve oficialmente presente em nosso país no velho Stilo Abarth, que tinha motor 2.4 20v (era de cinco cilindros), de 2002 a 2008. Depois a versão saiu de cena e a Abarth ficou ausente por seis anos, até o finalzinho do ano passado, quando foi lançado o  pequenino 500 Abarth, importado do México, com motor MultiAir Turbo 1.4 16v.

Para enfrentar o foguetinho italiano, de apenas 3,66m de comprimento, só encontrei o estiloso Citroën DS3, que tem o já banalizado motor THP 1.6 Turbo. Recentemente, o DS3 ganhou um discretíssimo face-lift que lhe deu faróis com luzes diurnas de LED e xenônio, que ainda são opcionais.

O Audi A1 também se encaixaria neste comparativo. Ficou de fora não pelo fato de ser o único com quatro portas. Mas por causa da dificuldade de encontrar uma lista completa e correta dos equipamentos de série no site da marca.

Vencer este comparativo não os torna melhores do mundo, mas é a chance para tanto a Abarth quanto o DS3 saírem do "anonimato".


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - BABA, BRASIL! - RENAULT KADJAR

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
MATÉRIA PUBLICADA EM 01/03/2015


Enquanto os brasileiros estão subindo num Renault Duster, projeto velho e barato da romena Dacia, os europeus, asiáticos e até africanos vão subir num Renault maior e mais caprichado: o novo Kadjar, a ser apresentado ao público no Salão de Genebra, que começa na próxima semana.

Baseado na plataforma da segunda geração do Nissan Qashqai (também inexistente por aqui), o utilitário esportivo médio da marca francesa tem 4,45m de comprimento. O Kadjar não vai substituir o Koleos, utilitário de mesmo porte projetado pela sul-coreana Samsung e que deve ser reposicionado em sua nova geração. 

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - LEMBRA DE MIM? - CHEVROLET CALIBRA

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
Texto publicado em 15/03/2015


No final do ano passado, o Honda Civic Si desembarcou no Brasil, importado do Canadá, despertando paixões. Um dos seus antecessores, vendido aqui há uns vinte anos atrás, não chamava tanta atenção. Naquela época, havia um outro cupê encantador: o Chevrolet Calibra.

sábado, 16 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - HISTÓRIA - BMW SÉRIE 3 40 ANOS

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Modelo mais vendido da BMW, o Série 3 começou a sua história no Brasil há quase 25 anos, quando as importações foram reabertas pelo ex-presidente Fernando Collor. Já a sua trajetória mundial tem quarenta anos. Em julho de 1975 ele foi apresentado no Estádio Olímpico de Munique como o sucessor do compacto Neuer Klasse (ou nova Classe), também conhecido como Série 02, que ficou famoso pelos modelos 1602, 1502 (o último remanescente) e 2002.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - SONHO DE CONSUMO - BENTLEY BENTAYGA

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
MATÉRIA ORIGINALMENTE PUBLICADA EM 23/09/2015

Aonde vamos parar? Em mais de 95 anos, a Bentley produziu sedãs, cupês e conversíveis superluxuosos com um toque de esportividade. Mas por causa da competição selvagem do mercado é preciso se diversificar. Por isso, a requintada marca inglesa (que hoje é de propriedade do grupo Volkswagen) entra, pela primeira vez, no também mega-concorrido segmento dos utilitários esportivos.

domingo, 10 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - EM BREVE NO BRASIL - TOYOTA SW4

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO 
Publicado originalmente em 18/07/2015
Texto sem atualização


Toyota Hilux ganhou nova geração e a sua versão "perua" SW4 não podia ficar sem renovação, que foi apresentada, simultaneamente, na Tailândia e na Austrália, onde ela é chamada de Fortuner e começa a ser vendida em outubro. No Brasil ela só deve chegar no final do ano que vem, depois da picape. 

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - LANÇAMENTO INTERNACIONAL - MERCEDES GLC

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
Publicado originalmente em 28/06/2015
Sem atualização


Recentemente, a Mercedes anunciou a mudança de nomenclatura de seus crossovers, cupês e roadsters, de acordo com a plataforma dos sedãs tradicionais da marca alemã (A, C, E e S). Um exemplo é o roadster SLK que vai passar a se chamar SLC. Alguns já estavam adaptados, como o crossover GLA e o cupê de quatro portas CLA, derivados do Classe A. O luxuoso Classe S vai se chamar Maybach. O roadster SL vai manter o nome por causa da tradição de seus mais de 60 anos. 

Não será uma mudança brusca. À medida que os modelos forem reestilizados totalmente ou parcialmente mudarão de nome. O Classe M já virou GLE com um face-lift. Agora é a vez do quadradíssimo GLK dar lugar ao elegante GLC, derivado do sedã Classe C.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

GUSCAR MOTO - AVALIAÇÃO - SUZUKI GSX-S 1000F



TEXTO E MEDIÇÕES: MÁRIO COUTINHO LEÃO | FOTOS: DIVULGAÇÃO E DO AUTOR

Finalmente uma opção à Kawasaki Ninja 1000. A mesma "patada" mas com suavidade e conforto para garupa. Assento largo, posição de pilotagem relaxada e muita força em qualquer marcha logo que passam as 5.000 rpm. Pinças de freio Brembo com ABS fecham as credenciais para uma boa jornada. Embora a Suzuki tenha um apresença tímida no mercado por culpa da empresa que a representa no País (JTA), alguns importadores independentes perceberam que a marca tem potencial e produtos convincentes.

No lugar de tentar brigar por segmentos mais baratos, a decisão dos novos empreenderores é focar nos nichos de cercado com clientes mais exigentes e, claro, mais abonados. Daí a estratégia de ficar "acima dos R$40.000", de acordo com os lojistas que apresentaram a nova GSX-S 1000F. A ideia é colocá-la R$3.000 abaixo dos R$54.000 da Kawasaki Ninja 1000.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - LANÇAMENTO - AUDI TT

TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO
Publicado originalmente em 4/06/2015
Sem atualização


Já se passaram praticamente vinte anos desde que o Audi TT, aquele simpático cupê arredondado, foi apresentado como conceito no Salão de Frankfurt de 1995. A sua versão definitiva só chegou ao mercado europeu no fim de 1998, para concorrer com Mercedes SLK e BMW Z3 (depois Z4). Agora ele já está na sua terceira geração, que acaba de chegar ao Brasil, um ano depois de apresentado em Genebra, onde lá estive. Apesar de ter evoluído em mecânica e tecnologia, seu estilo ainda tem traços do cupê original, embora menos arredondado.

Audi TT Concept 1995

Audi TT 1999
Audi TT 2006
Audi R8

Em dezessete anos passaram por ele uma ampla grade e faróis retangulares (na verdade, protetores dos canhões de luz) e outra frente com grade trapezoidal até o para-choque, com faróis angulosos. Ambas as frentes deram lugar a um novo conjunto frontal composto por faróis afilados, totalmente em LED (só na versão mais cara), e grade quase selada e em formato hexagonal, com os quatro anéis cravados no capô. A inspiração veio do superesportivo R8.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

RETROSPECTIVA 2015 - CAMPEÕES DE AUDIÊNCIA



O Renegade é produzido na nova e moderna unidade do grupo FCA (Fiat-Chrysler Automotive) em Goiana, interior de Pernambuco. É o primeiro modelo da divisão Jeep fabricado no Brasil. O velho Jeep Willys, que teve a sua produção cessada pela Ford em 1982, ainda não tinha a sua marca independente. Hoje, o grupo Chrysler pertence à Fiat.

O Renegade tem o desenho mais rústico dos utilitários compactos. Mais até que o do Renault Duster. Isso se deve à carroceria reta, com janelas laterais planas, às lanternas quadradas com as lentes brancas em formato de X, às luzes de direção separadas do conjunto ótico, aos faróis redondos também com lentes em X e à tradicional grade com os sete gomos verticais da Jeep. Aliás, a grade é um pouco recuada em relação ao capô e ao para-choque e os faróis são recuados em relação à grade. Nos dois para-choques da versão Trailhawk, ganchos para reboque (dois na dianteira e um na traseira) que suportam o peso do carro mais 300 kg reforçam a vocação lameira do Renegade. Também na versão top o teto (em fibra de vidro) pode ser removido (opcional).