quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Comparativo - Picapes Médias

Texto: Gustavo do Carmo
Fotos: Divulgação
Dados de Teste: Revista Carro



No ano passado, o segmento das picapes médias ficou agitado com o lançamento da nova geração das já decanas Chevrolet S10 e Ford Ranger. As outras rivais não ficaram imóveis. Promoveram mudanças no motor, no câmbio e até no estilo.

A Volkswagen, por exemplo, enfim disponibilizou um câmbio automático na sua Amarok, lançada em 2010. E colocou logo uma transmissão de oito marchas. A Nissan Frontier chegou a ter o motor diesel mais potente da categoria, com 190 cavalos, mas eles foram logo superados pelo Duratorq de cinco cilindros e 20 válvulas da Ranger, que tem 200. A Mitsubishi, especialista em fora de estrada, também deu mais potência à sua L200 Triton, mas foram apenas cinco cavalos, que aumentaram de 165 para 170. A Toyota Hilux, que motivou toda essa renovação das picapes médias, ganhou nova transmissão automática de cinco marchas, mas suas principais mudanças, como nova grade dianteira, novo painel e novos equipamentos, ocorreram no fim de 2011.

Assim, decidi comparar as seis picapes em suas versões top de linha, com motor a diesel, câmbio automático e tração 4x4.


Não fazia um comparativo do segmento desde 2008, quando o Guscar ainda era um fotolog. Na ocasião, a vencedora foi a L200, que derrotou a Hilux e a Frontier. Todas então eram novatas. Hoje são as mais antigas e neste novo comparativo foram superadas pelas representantes das três tradicionais marcas Chevrolet S10, Ford Ranger e Volkswagen Amarok.

A avaliação nos tradicionais 12 itens ganhou mais 3. Além do câmbio, também contam pontos as aptidões em todo o terreno (na verdade, quem tem mais ângulo de entrada, desempatando pelo de saída) e a caçamba foi dividida em volume e comprimento, com pontuação independente. Os números de desempenho, consumo, frenagem e nível de ruído são da revista Carro, que pode explicar a grande mudança de classificação em relação ao antigo confronto. 


6º Mitsubishi L200 Triton HPE 3.2 Turbodiesel



Apesar da Mitsubishi ter grande experiência no uso da tração integral, marca registrada da montadora japonesa, que ganhou diversas edições do Rali Dakar e organiza campeonatos de regularidade no Brasil, a L200 Triton (sobrenome que agora batiza toda a linha da picape) ficou em último lugar.

Culpa do motor 3.2 Turbodiesel de apenas 170 cavalos, a menor potência dos seis. E olha que ele ganhou mais cinco cavalos. O desempenho também foi fraco: acelera de 0 a 100 km/h em 14,2 segundos, enquanto as rivais fizeram a marca na faixa dos 11 segundos, mesmo tempo da retomada entre 80 e 120 km/h, que as concorrentes levaram cerca de nove. Reflexo do câmbio automático de apenas quatro marchas.

A Mitsubishi não divulga os dados de consumo e nem a revista Carro pôde avaliá-lo. Mas o site Notícias Automotivas apurou com engenheiros da empresa que o consumo fica em 7,5 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada. Somados, a L200 empata tecnicamente com a Frontier na segunda colocação.

A L200 Triton HPE é a mais barata das seis picapes. Custa R$ 124.990, já sem o desconto do IPI, mas a lista de equipamentos da Mitsubishi é bem modesta. Traz só o essencial para o conforto e segurança, como ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, som, piloto automático com controle no volante, airbag duplo e freios ABS com EBD. O item mais atraente é o GPS. A seleção da tração integral é manual, na alavanca. Como ela, só a Hilux. As demais são eletrônicas, com exceção da Amarok, permanente.


A avaliação da caçamba mostrou resultados distintos na L200. O volume de 1.040 litros é mediano, mas o comprimento de apenas 1,32m é muito curto.

Além do preço baixo, a L200 Triton só se destacou positivamente nas suas linhas, que ainda são as mais atraentes, mesmo tendo desembarcado aqui no Brasil no final de 2007, então importada da Tailândia. Hoje, a picape da Mitsubishi já é fabricada em Catalão (GO), junto com a sua irmã fechada, a Pajero Dakar. No ano passado, sofreu um discretíssimo face-lift.

Uma novidade importante da linha 2013 é a nova suspensão SDS - sigla para “Sport Dynamic Supension” – ou suspensão dinâmica esportiva, que redimensionou os amortecedores, as barras e as molas para incômodo os incômodos "pula-pula" e "sacode". O nível de ruído é de 68,5 decibéis a 120 km/h, mesma faixa da S10 e da Hilux.

Ah! E o ângulo de entrada de 39º é o melhor de todas as picapes. Afinal, a L200, como um bom Mitsubishi, não poderia fazer feio neste quesito.

Pontos Fortes 

+ Preço
+ Estilo
+ Capacidades fora de estrada

Pontos Fracos 

- Motor
- Câmbio
- Desempenho
- Comprimento da Caçamba
- Equipamentos de Série

Outras versões: 

L200 Triton HPE Diesel MT – R$ 115.990
L200 Triton HPE Flex AT – R$ 103.590
L200 Triton Savana – R$ 115.990
L200 Triton GLS – R$ 99.590
L200 Triton GLX – R$ 90.990
L200 Triton GL (airbag, ABS) – R$ 91.990
L200 Triton GL – R$ 86.990


FICHA TÉCNICA

Motor: Quatro cilindros, longitudinal, diesel, turbo com intercooler, 16v, 3.200 cm³ 
Potência: 170 cv
Câmbio: Automático de 4 marchas
Aceleração de 0 a 100 km/h: 14,2 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo: 7,5 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada (apuração da Notícias Automotivas)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,11/1,80/1,78/3,00 m
Volume da Caçamba: 1.040 litros
Comprimento da Caçamba: 1,325m
Ângulo de entrada: 39º / Ângulo de saída: 27º 
Tanque: 75 litros
Preço: R$ 124.990 (HPE)


5º Toyota Hilux SRV Top 3.0 Turbodiesel



Em 2005 a Toyota apresentou, na Tailândia, a sétima geração (desde que nasceu no Japão) da sua picape Hilux. Suas linhas arredondadas e angulosas ensinaram a algumas rivais que picape média não precisa ter visual quadrado. Só a Nissan e a Volkswagen não aprenderam a "lição".

Passados oito anos da sua produção em Zárate, na Argentina, e sua posterior exportação para o Brasil, a Hilux ficou para trás. Não no estilo, que ainda é moderno, embora com dois "liftings faciais" no currículo, o último deles em 2011, quando ganhou um acabamento mais caprichado, GPS, câmera de ré e um câmbio automático de cinco marchas.

A Hilux perdeu muitos pontos no espaço interno, na rede de concessionárias da Toyota (132), no motor Turbodiesel 3.0 de 171 cavalos e na frenagem (62,5 m a 120 km/h). Nestes dois últimos, no entanto, ela ainda ficou à frente da L200 (170 cv) e da Frontier (63,6 m), respectivamente.


A picape que rejuvenesceu o segmento é a mais cara. Custa R$ 144.130 na versão SRV Top, com motor turbodiesel 3.0, tração 4x4 (de acionamento na alavanca) e câmbio automático. Em compensação vem bem equipada, com ar condicionado digital, o GPS, a câmera de ré, computador de bordo, som com CD Player, MP3 e Bluetooth, piloto automático com controle no volante, banco do motorista com regulagem elétrica, bancos em couro, rebatimento do assento do banco traseiro, acendimento automático dos faróis, cinto de segurança de 3 pontos para todos, freios ABS com EBD e BAS (assistente de frenagem), airbags frontais, controles de tração e estabilidade, entre outros. A qualidade da lista só perde para a Ranger, que também foi a única a superar a Hilux no acabamento interno.

O maior destaque da Hilux é o seu consumo de 8,4 km/litro na cidade e 13 km/l na estrada, segundo a revista Carro, fazendo dela uma das picapes mais econômicas do comparativo, ao lado da Volkswagen Amarok.

A caçamba é mediana. Tanto no volume de 1.036 litros (quarto lugar) quanto no comprimento de 1,52m (terceiro), ficou em posição intermediária, tal como no desempenho (aceleração de 0 a 100 km/h em 12 segundos no terceiro lugar empatado com S10 e Frontier), nível de ruído (68,9 decibéis a 120 km/h) e a capacidade de enfrentar trilhas (30º de ângulo de entrada e 23º de saída).

A Hilux não foi ultrapassada por todas as suas concorrentes nos últimos oito anos. No mercado, ainda é a segunda picape média mais vendida, atrás apenas da Chevrolet S10. Neste comparativo conseguiu superar a Mitsubishi L200.


Pontos Fortes 

+ Consumo
+ Acabamento
+ Equipamentos de série

Pontos Fracos 

- Preço
- Assistência
- Espaço interno


Outras versões: 

Standard Cabine Simples Chassi Diesel 4x4 Manual - R$ 83.960
Standard Cabine Simples Diesel 4x4 Manual - R$ 89.420
Standard Cabine Dupla Flex 4x4 Manual - R$ 89.370
SR Cabine Dupla Flex 4x2 Automática - R$ 86.330
SRV Cabine Dupla Flex 4x4 Automática - R$ 101.740
Standard Cabine Dupla Diesel 4x4 Manual - R$ 99.820
SR Cabine Dupla Diesel 4x4 Manual - R$ 112.820 
SR Cabine Dupla Diesel 4x4 Automática - R$ 118.360
SRV Cabine Dupla Diesel 4x4 Manual - R$ 129.260
SRV Cabine Dupla Diesel 4x4 Automática - R$ 136.680

FICHA TÉCNICA

Motor: Quatro cilindros, longitudinal, diesel, turbo com intercooler, 16v, 2.982 cm³ 
Potência: 171 cv
Câmbio: Automático de 5 marchas
Aceleração de 0 a 100 km/h: 12 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo: 8,4 km/l na cidade e 13 km/l na estrada (revista Carro)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,26/1,83/1,86/3,08 m 
Volume da Caçamba: 1.036 litros
Comprimento da Caçamba: 1,52m
Ângulo de entrada: 30º / Ângulo de saída: 23º 
Tanque: 80 litros
Preço: R$ 144.130 (SRV Top)



4º Nissan Frontier SL 10 Anos 2.5 Turbodiesel



A Nissan já tinha chamado os cavalos de potência das picapes concorrentes de "Pôneis Malditos" quando modificou o motor 2.5 turbodiesel da Frontier e o levou a 190 cavalos. Só não contava que a Ford Ranger fizesse melhor e colocasse 200 no seu Duratorq 3.2.

Mesmo assim, a Frontier ainda tem o segundo motor mais forte do comparativo, garantindo-lhe cinco pontos. O desempenho não é ruim. Ficou em um empate triplo no terceiro lugar com a Hilux e a S10. Acelera de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos e retoma entre 80 e 120 km/h em 9,9 segundos. Seu câmbio automático tem cinco marchas com overdrive.

 O consumo não é o pior, mas ficou atrás das rivais e empatado tecnicamente com a L200. Faz 7,5 km/l na cidade e 11 km/l na estrada. O nível de ruído de 67,9 decibéis a 120 km/h só foi superado pela Amarok e a Ranger. A deficiência dinâmica mesmo ficou por conta da frenagem: 63,6 metros a 120 km/h.

Seus outros pontos fracos são o estilo reto e pesado (lançado em 2007, já pede uma nova geração) e a capacidade da caçamba, de apenas 1.026 litros, a menor de todas. Já o comprimento de 1,51m é apenas o quarto melhor.


A lista de equipamentos da versão comemorativa SL 10 Anos é razoável e trivial para as exigências de conforto de uma picape de luxo: ar condicionado digital, trio elétrico, bancos em couro, som com MP3 e tela sensível ao toque, piloto automático, controle do som e do piloto automático no volante, airbags frontais e freios ABS com EBD. Os mais interessantes são a chave presencial, a câmera de ré, faróis com regulagem de altura e o controle de estabilidade. Tudo isso por R$ 126.390, já sem o desconto do IPI e mais caro apenas pela Mitsubishi L200. 

A Frontier foi a única picape que não ganhou nenhum item. Além do motor e do preço, os melhores resultados da picape da Nissan foram os segundos lugares no acabamento (dividido com a Hilux, mas abaixo da Ranger) e na capacidade fora de estrada, com ângulos de entrada de 32º C e saída de 24º C, perdendo apenas para os 39º da L200.  

A Nissan Frontier é uma picape valente, mas como veículo em geral, a picape da marca japonesa fabricada em São José dos Pinhais (PR) ficou em quarto lugar, superior à Toyota Hilux e a Mitsubishi L200.

Debochar da concorrência na publicidade (eram os pôneis malditos e agora é a campanha contra o atolamento, ironizando a impotência sexual) não tem nado muita sorte à Nissan nos comparativos do Guscar. Que o diga o Nissan March, que ficou em segundo em um confronto feito em 2011. Curiosamente, o sedã Versa, que nunca debochou dos rivais, venceu com sobras o seu comparativo no ano passado.


Pontos Fortes 

+ Preço
+ Acabamento
+ Motor
+ Capacidade fora de estrada

Pontos Fracos 

- Frenagem
- Volume da Caçamba
- Estilo

Outras versões: 

XE 4x2 Diesel 163 cv Manual - R$ 88.990
XE 4x4 Diesel 190 cv Manual - R$ 97.490
SE Attack 4x2 Diesel 163 cv Manual - R$ 94.990
SE Attack 4x4 Diesel 190 cv Manual - R$ 102.690
SVAttack 10 Anos 4x2 Diesel 163 cv Manual - R$ 96.990
SV Attack 10 Anos 4x4 Diesel 190 cv Manual - R$ 105.490
LE 4x4 Diesel 190 cv Manual - R$ 114.290
LE 4x4 Diesel 190 cv Automática - R$ 121.390
LE Attack 4x4 Diesel 190 cv Automática - R$ 123.890
SL 10 Anos 4x4 Diesel 190 cv Automática - R$ 126.390


FICHA TÉCNICA

Motor: Quatro cilindros, longitudinal, diesel, turbo com intercooler, 16v, 2.488 cm³ 
Potência: 190 cv
Câmbio: Automático de 5 marchas com overdrive
Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,8 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo: 7.5 km/l na cidade e 11 km/l na estrada (revista Carro)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,23/1,85/1,78/3,20 m
Volume da Caçamba: 1.026 litros
Comprimento da Caçamba: 1,51m
Ângulo de entrada: 32º / Ângulo de saída: 24º 
Tanque: 80 litros
Preço: R$ 126.390 (SL 10 Anos)

3º Chevrolet S10 LTZ 2.8 CTDI 4x4 Automática



Líder de vendas do segmento desde quando foi lançada em 1995, ainda somente com cabine simples, a Chevrolet S10 enfim ganhou uma carroceria inteiramente nova no ano passado, com direito a uma versão "perua", a Traiblazer. 

Mais moderna em tudo: chassi, plataforma, estilo, interior e motor, esperava-se que ela vencesse este comparativo ou pelo menos ficasse em segundo. Mas o recorde de terceiros lugares determinou a mesma posição. Foram sete em quinze itens: preço, câmbio, desempenho, consumo, frenagem, volume da caçamba e capacidades fora de estrada. 

Começo a falar do motor, item em que a S10 ficou em quarto lugar: o propulsor 2.8 CTDI tem 180 cavalos. É a mesma potência do 2.0 biturbo da Amarok, mas perdeu no desempate por causa da cilindrada menor da picape da Volkswagen. Seria mais um terceiro lugar.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 11,8 segundos e a retomada entre 80 e 120 km/h em 9,9 segundos, mesmo tempo da Frontier. No desempenho em geral, a Hilux se juntou ao empate. Igualdade que também aconteceu no consumo, com a S10 dividindo o seu terceiro lugar pelos seus 6,2 km/l na cidade e 13,4 km/l na estrada com a Ranger. A Chevrolet superou a Ford por apenas 0,1 km na soma dos percursos. Na frenagem novo empate técnico. Agora com a Mitsubishi L200, que para em 59,7 metros a 120 km/h, somente 1 centímetro melhor. 


Outro terceiro lugar da S10 foi nos 1.061 litros de volume na caçamba. O comprimento de 1,44m só não foi menor que os 1,32m da L200. O pior resultado foi no acabamento interno. Apesar da modernidade do painel, os plásticos são duros e algumas peças são frágeis.

Voltando aos terceiros lugares, a S10 fez mais dois: um no preço de R$ 132.310 da versão LTZ Cabine Dupla turbodiesel, câmbio automático e tração 4x4 e outro no ângulo de entrada de 30,7º. A transmissão é sequencial de seis marchas, mas não tem o modo Sport como na Ranger. As pioneiras são inferiores apenas às oito marchas da Ranger. A tração integral tem seleção eletrônica, por botão giratório. 

Entre os equipamentos de série se destacam os controles de tração e estabilidade, ar condicionado digital, piloto automático, som com MP3, Bluetooth, banco do motorista com regulagem elétrica e bancos em couro. Ficou em quarto lugar.

Além do câmbio automático e da rede de 600 concessionárias da Chevrolet, a S10 também é uma das mais modernas no desenho da carroceria. É tão moderno quanto o da Ranger, mas a L200 ainda chama mais atenção com o seu visual de 2007. Já no espaço interno ninguém supera a líder do segmento.


Pontos Fortes 

+ Estilo
+ Câmbio
+ Espaço interno
+ Assistência

Pontos Fracos 

- Comprimento da Caçamba
- Acabamento

Outras versões: 

LS Cabine Simples 2.4 Flexpower 4x2 Manual - R$ 59.440
LS Cabine Dupla 2.4 Flexpower 4x2 Manual - R$ 66.880
LS Cabine Simples 2.8 Turbodiesel 4x2 Manual - R$ 79.630
LS Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x2 Manual - R$ 90.830
LS Cabine Simples 2.8 Turbodiesel 4x4 Manual - R$ 84.810
LS Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x4 Manual - R$ 94.220
LT Cabine Simples 2.4 Flexpower 4x2 Manual - R$ 62.430
LT Cabine Dupla 2.4 Flexpower 4x2 Manual - R$ 71.620
LT Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x2 Manual - R$ 96.750
LT Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x2 Automático - R$ 101.640
LT Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x4 Manual - R$ 107.120
LT Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x4 Automático - R$ 110.940
LTZ Cabine Dupla 2.4 Flexpower 4x2 Manual - R$ 83.380
LTZ Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x2 Manual - R$ 109.960
LTZ Cabine Dupla 2.8 Turbodiesel 4x2 Automático - R$ 114.850

FICHA TÉCNICA


Motor: Quatro cilindros, longitudinal, diesel, turbo, 16v, 2.776 cm³ 
Potência: 180 cv
Câmbio: Automático sequencial de 6 marchas 
Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,9 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo: 6,2 km/l na cidade e 13,4 km/l na estrada (revista Carro)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,34/1,88/1,82/3,09 m
Volume da Caçamba: 1.061 litros
Comprimento da Caçamba: 1,44m
Ângulo de entrada: 30,7º / Ângulo de saída: 26º 
Tanque: 76 litros
Preço: R$ 132.310 (LTZ)




2º Volkswagen Amarok Highline 2.0 8 marchas



Se o comparativo fosse decidido por quem ganhasse mais quesitos, a Amarok seria a grande campeã. A primeira picape média projetada pela Volkswagen foi a melhor em sete.

O primeiro deles foi o câmbio automático de oito marchas, que também tem outros modos de funcionamento automático, como Drive e Sport, além da opção de uso manual sequencial. A tração nas quatro rodas é permanente, mas tem um diferencial central que distribui a força entre os eixos, podendo passar dos 40% na frente e 60% atrás para 80% em um dos lados, dependendo da condição de aderência.

O segundo destaque da Amarok é o consumo. O motor biturbo 2.0 de 180 cavalos (terceira maior potência) leva a picape a 8,7 km/litro na cidade e 12,3 km/l na estrada. Na soma, as médias empataram tecnicamente com a Toyota Hilux. Superiores mesmo foram a frenagem de 57,9 metros e o ruído de 63,6 decibéis a 120 km/h, ambos a 120 km/h. A caçamba da alemã também é a maior, tanto no volume (1.280 litros) quanto no comprimento (1,55m). Por fim, ninguém tem mais concessionárias que a Volkswagen: 615.

O desempenho foi o segundo melhor, perdendo para a Ranger na aceleração de 0 a 100 km/h no desempate. A Amarok cumpriu a prova em 12,1 contra 11,3 segundos da rival. As duas empataram na retomada de 80 a 120 km/h em 8,7 segundos.

A Amarok foi fraca, mas não a pior, no acabamento, de aparência demasiadamente simples; no estilo muito retilíneo, a exemplo da Nissan Frontier; no ângulo de entrada de 30º C, mesmo da Hilux, mas perdendo para Toyota na capacidade de saída: 22º contra 23º e no preço de R$ 135.310 da versão Highline Cabine Dupla.


Entre os seus equipamentos de série se destacam ar condicionado digital de duas zonas, ajuste de altura e profundidade (que só a Amarok tem) do volante, trio elétrico, computador de bordo, piloto automático, tocador de CD com cartão SD, Bluetooth, controle do áudio no volante, regulagem de altura nos bancos dianteiros, bancos em couro, airbags frontais, freios ABS com EBD e assistência de frenagem, controle de tração, acendimento automático dos faróis. Controle de estabilidade, assistente de partida em subida e descida de ladeira, rodas de 19 polegadas e sistema multimídia com GPS são opcionais. Com eles, a Amarok passa a custar R$ 141.369 e, ainda assim, continua mais barata que a Hilux. Se tudo isso fosse de série teria a segunda melhor lista de equipamentos.

Apesar de tantas vitórias, a Amarok ficou em segundo lugar no comparativo. Mas seus bons resultados provaram que a Volkswagen valorizou o aprendizado que teve com a Toyota (nos anos 90 fabricou na Alemanha e no Japão uma picape Hilux com o emblema VW: a Taro) e projetou sozinha uma picape média de qualidade.


Pontos Fortes 

+ Consumo
+ Câmbio
+ Frenagem
+ Ruído
+ Caçamba (volume e comprimento)
+ Assistência

Pontos Fracos 

- Preço
- Acabamento
- Estilo


Outras versões: 

S Cabine Simples Turbodiesel 4x4 Móvel Manual - R$ 86.450
S Cabine Dupla Turbodiesel 4x4 Móvel Manual - R$ 94.340
SE Cabine Dupla Biturbo 4x4 Móvel Manual - R$ 101.110
Trendline Cabine Dupla 4x4 Móvel Manual - R$ 112.590
Trendline Cabine Dupla 4x4 Integral Automática - R$ 118.980

FICHA TÉCNICA



Motor: Quatro cilindros, longitudinal, diesel, biturbo, 16v, 1.968 cm³ 
Potência: 180 cv
Câmbio: Automático sequencial de 8 marchas com modos Drive e Sport
Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,1 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: 179 km/h
Consumo: 8,7 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada (revista Carro)
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,25/1,94/1,83/3,09 m
Volume da Caçamba: 1.280 litros
Comprimento da Caçamba: 1,55m
Ângulo de entrada: 30º / Ângulo de saída: 22º 
Tanque: 80 litros
Preço: R$ 135.310 (Highline)






1º Ford Ranger Limited Duratorq 3.2 20v



A S10 foi a recordista de terceiros lugares e ficou em terceiro. A Amarok foi a que mais venceu itens e ficou em segundo. E a renovada Ford Ranger, renovada quase ao mesmo tempo que a eterna rival da Chevrolet, é a campeã do novo comparativo de picapes médias do Guscar com maior número de segundos lugares. Obteve sete.

Começo pelo câmbio automático de seis marchas, número igual ao da S10, mas a Ranger tem modo de funcionamento Sport. Ambas só têm menos relações que as oito da Amarok. A tração também possui seleção eletrônica, por botão. Na frenagem (58,9m a 120 km/h), nível de ruído (64,9 decibéis a mesma velocidade), volume (1.180 litros) e comprimento (1,54m) da caçamba ela também ficou atrás da picape da Volkswagen. O espaço interno só é mais apertado que o da S10. A exemplo da picape da Chevrolet, a Ranger foi inteiramente modernizada no ano passado. Mas a Mitsubishi L200 ainda chama mais atenção que elas.

Se a Ranger ganhou o comparativo com maior número de segundos lugares, ela tem que agradecer aos quatro itens em que ela venceu: principalmente o novo motor Duratorq 3.2 de cinco cilindros e vinte válvulas, que rende 200 cavalos, capaz de fazer os 190 da Frontier se sentirem os pôneis malditos. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 11,3 segundos, a mais rápida das seis (por décimos). A retomada de 8,7 segundos entre 80 e 120 km/h é igual a da Amarok. O consumo de 8,4 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada ficou em terceiro lugar.


A Ranger tem o acabamento mais sofisticado e bem montado das seis picapes do comparativo. E a Ford , na versão Limited, também é campeã de itens exclusivos de série, principalmente de segurança como airbags laterais e de cortina, controle de estabilidade anti-capotamento, controle adaptativo de carga e assistente de partida em rampa (na Amarok é opcional), além de reunir tudo o que algumas concorrentes têm como ar digital de duas zonas, GPS, câmera de ré, acendimento automático dos faróis, aviso sonoro dos faróis ligados, banco do motorista com ajuste elétrico, entre outros. Custa R$ 134 mil, sendo a terceira mais cara.

A Ranger teve poucos itens em que ficou para trás. O único em que ficou em último pode pesar na decisão de quem compra picapes para o uso rural, pois seu pior desempenho foi justamente no menor ângulo de entrada: apenas 28º. Pelo menos o de saída é de 26º, um dos maiores, como da L200 e S10. Como boa picape de origem norte-americana, a campeã Ford Ranger, fabricada na Argentina, se sente mais à vontade na cidade.


Pontos Fortes 

+ Motor
+ Desempenho
+ Acabamento
+ Equipamentos de Série

Pontos Fracos 

- Capacidades fora de estrada


Outras versões: 


XL Cabine Simples 4x4 2.2 Turbodiesel Manual
XL Cabine Dupla 4x4 2.2 Turbodiesel Manual
XLS Cabine Simples 4x2 2.5 Flex Manual - R$ 62.500
XLS Cabine Dupla 4x2 2.5 Flex Manual - R$ 68.300
XLS Cabine Simples 4x4 3.2 Turbodiesel - R$ 99.800
XLS Cabine Dupla 4x4 3.2 Turbodiesel Manual - R$ 108.900
XLT Cabine Dupla 4x2 2.5 Flex Manual - R$ 76.300
XLT Cabine Dupla 4x4 3.2 Turbodiesel  Manual - R$ 117.300
XLT Cabine Dupla 4x4 3.2 Turbodiesel Automática - R$ 122.900
Limited Cabine Dupla 4x2 2.5 Flex Manual - R$ 88.300

FICHA TÉCNICA

Motores: Cinco cilindros, longitudinal, turbodiesel, 20v, 3.198 cm³ 
Potência: 200 cv
Câmbio: Automático sequencial de 6 marchas com modo Sport
Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,6 seg. (revista Carro)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo: 8,9 km/l e 10,8 km/l 
Comprimento/largura/altura/entre-eixos: 5,35/1,85/1,85/3,22 m

Volume da Caçamba: 1.180 litros
Comprimento da Caçamba: 1,54m
Ângulo de entrada: 28º / Ângulo de saída: 26º
Caçamba: 1.180 litros
Tanque: 80 litros
Preço: R$ 134.000 (Limited)


Minha Escolha

A líder do mercado é a S10, mas a Ford Ranger é superior no motor, desempenho, acabamento, segurança e equipamentos de série. E não é tão cara.







Um comentário:

Anônimo disse...

Excelente comparativo. Top 3 dos disponíveis na Internet.

PARABENS !!!